quinta-feira, 21 de junho de 2018

Oportunidade de emprego no setor de cervejas

Cervejaria Furst Bier de Geraldo e Paulinho Fürst convida interessados a integrar ao seu quadro produtivo.
.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Cervejaria Sátira


Cervejaria Sátira anuncia linha exclusiva de growlers assinadas pelo artista Conrado Almada
Desde que promoveu sua reinserção no mercado cervejeiro com uma nova identidade visual, a Cervejaria Sátira tem promovido ações variadas para reafirmar sua identidade descontraída, leve e questionadora, se distanciando das formalidades criadas após o movimento que popularizou a produção artesanal de cerveja. Agora, a cervejaria traz uma novidade descolada para o mercado, já que acaba de anunciar o lançamento de duas linhas de growlers exclusivos assinados pelo renomado artista mineiro Conrado Almada.
Os growlers são recipientes próprios e ideais para transporte e armazenamento de cerveja, preservando todas as propriedades e características da bebida. Por este motivo, tornaram-se  sucesso entre o público cervejeiro. Para se diferenciar neste mercado, a Sátira está lançando duas edições limitadas assinadas por Conrado Almada: um lote com apenas 280 unidades de um growler de vidro e uma outra ainda mais exclusiva, que conta com somente 80 unidades de um growler de cerâmica, que poderá ser encontrado nas cores branco, preto e mostarda, sendo todos eles finalizados com uma intervenção assinada pelo artista.
Os growlers de vidro já estão à venda por R$79,00 na Growler Station da Sátira (Av. Nossa Senhora do Carmo, 899, Sion), enquanto a linha em cerâmica ainda está sendo produzida e finalizada pelo artista e deve chegar no endereço da Cervejaria nos próximos dias.
Serviço:
Linha exclusiva de Growlers da Cervejaria Sátira
Local:
 Growler Station Cervejaria Sátira (Avenida Nossa Senhora do Carmo, 899, Sion. Belo Horizonte)
Horário de funcionamento:
De terça à sexta: 14h às 21h
Sábado: 10h às 21h. Domingo: 10h às 16h
Telefone: (31) 3166-8999
Aberto ao público


segunda-feira, 4 de junho de 2018

Os 8 pilares das novas marcas cervejeiras de sucesso

Mapa Cervejeiro lança Ebook para Empreendedores

Conheça as características mais transformadoras das novas marcas cervejeiras de sucesso

Todos os empreendedores cervejeiros querem ter sucesso em seus empreendimentos, seja através da marca pessoal ou corporativa. Mas, grande parte destes empreendedores ainda não percebeu ou tomou consciência do potencial e das possibilidades que o mercado cervejeiro oferece.
 
É notório que uma parte dos empreendedores consegue alcançar o êxito em seus negócios devido a perfis comportamentais e ações específicas ao empreender no setor cervejeiro. Outra parte não consegue gerir seus empreendimentos adequadamente, mantendo seus negócios em "pilares" frágeis. Sendo assim, nos perguntamos: Quais são os segredos ou métodos que os empreendedores de sucesso desenvolvem em suas marcas cervejeiras?

Com a análise de dados quantitativos e qualitativos, o Mapa Cervejeiro inicia uma série de ações com conteúdos diversos, lançando inicialmente o EBOOK - 8 PILARES DAS NOVAS MARCAS CERVEJEIRAS DE SUCESSO onde são destacadas as forças que regem a atividade empreendedora cervejeira de marcas de sucesso. Em mais de 10 anos de atividade no setor, acompanhei de perto a ascenção de várias marcas cervejeiras no Brasil, encontrando 8 características comuns a todas elas. 

Com o mercado em ascensão e com os dados que pesquisamos, queremos compartilhar nossa avaliação e análise sob perspectivas ainda não exploradas e observadas com mais critério pelo mercado. Uma das nossas propostas é mostrar a configuração dos pólos cervejeiros, as mudanças no perfil do consumidor, as inovações e muitos outros aspectos que permeiam a movimentação da cadeia produtiva da cerveja em ambiente nacional e internacional. Com novas pesquisas, análise e avaliação de dados, temos condições de apresentar informações de alta relevância para o mercado com o intuito de potencializar o desenvolvimento sustentável do mercado da cerveja artesanal. Queremos ir além dos mapas geográficos dos empreendimentos cervejeiros. Não basta apresentarmos apenas a localização dos empreendimentos sendo que grande parte ainda não está preparada para o potencial econômico do turismo cervejeiro. Vamos acompanhar o mercado com ações que promovam reflexão e capacitação para uma tomada de decisão mais assertiva por parte dos empreendedores, investidores e aspirantes. 

O lançamento deste ebook fortalece esta nova fase e proposta do Mapa Cervejeiro. 

O Ebook pode ser baixado gratuitamente no site do Mapa Cervejeiro através do link: http://www.mapacervejeiro.com/empreendedores.

Esperamos que este conteúdo cumpra o papel de inspirar e promover uma reflexão na atividade empreendedora cervejeira. Acreditamos que este setor oferece possibilidades de construção de empreendimentos com pilares fortes, pautados em propósitos e ideais elevados, promovendo uma transformação e impacto em nosso entorno. O resultado desta construção sólida vale todo o empenho!

Nos vemos por aí!

Cindra Gomes
Mapa Cervejeiro

ACervA Brasil

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Kelvin Azevedo Figueiredo assume a presidência da ACervA Brasil


ex-presidente da ACervA Mineira assume a cadeira da Associação Nacional por dois anos. 

Retransmitimos com louvor as palavras de Kelvin:
“Depois de dois mandatos na ACervA Mineira, dessa vez o desafio é nacional. ACervA Brasil (Federação das ACervAs Brasileiras)! Trabalho a ser desenvolvido por uma equipe muito bem preparada e com vontade de fazer acontecer. Equipe composta por representantes de vários estados brasileiros e que trabalhará em conjunto com todas as estaduais. Para quem não conhece as associações dos cervejeiros artesanais (ACervA) estaduais e a ACervA Brasil, somos todos voluntários em associações sem fins lucrativos e presente em mais de 20 estados brasileiros”.
3ª Assembleia Geral Ordinária
Belo Horizonte-MG
XIII Encontro Nacional das ACerVAs
Agradecemos a todas as Estaduais o apoio para a Gestão 2016-2018 e apresentamos a nova diretoria para a gestão 2018-2020:
Presidente: Kelvin - ACervA Mineira
Vice-presidente: Comarú - ACervA Catarinense
Secretário Geral: Chico - ACervA Gaúcha
Secretário Adjunto: Sandro - ACervA ES
Tesoureiro: Duran - ACervA Carioca
Tesoureiro Adjunto: Olivalter - ACervA Baiana
Comunicação: Tati - ACervA Candanga
Evento: Lenir - ACervA Paranaense
Auditoria: Gabriel - ACervA Paranaense
Flávio - ACervA Candanga

Luciane Tavares - Presidente ACervA Brasil 2016-2018
Fonte: Timeline de Kelvin (Facebook).

Água na Cerveja

Greve de caminhoneiros compromete produção de bebida artesanal para a Copa

por Rafaela Martins*

Ai vai uma má notícia para os belo-horizontinos: pode faltar cerveja na capital dos bares durante a Copa do Mundo, que começa em 14 de junho. A greve dos caminhoneiros, que já representa uma perda de R$ 11,9 bilhões para a economia de Minas, afetou também as cervejarias artesanais, justamente neste que seria o primeiro Mundial desde que a bebida caiu definitivamente no gosto do consumidor.

Pelo menos 80 toneladas de insumos ficaram presos nas estradas e os estoques para a produção começar a chegar ao fim. De acordo com a Minas Maltes, que fornece malte e lúpulo para mais de 100 cervejarias locais, duas carretas ficaram presas nas cidades de Perdões e Atibaia (SP) e outras duas eram para ter chegado nesta semana, sequer foram carregadas para transporte.

"Estamos zerados e, mesmo que os caminhões cheguem, não vai dar para abastecer todo mundo. Corre o risco de faltar cerveja para a Copa, sim", afirma Michel Mafia, representante da Minas Maltes, que estima um prejuízo total de R$ 300 mil para a distribuidora nas duas últimas semanas. 

Por falta de material, a Cervejaria Küd, no Jardim Canadá, em Nova Lima, precisou interromper a produção na última quinta-feira. "Ainda teremos um pouco de chope para a Copa, mas não chega à metade de nossa capacidade. Nossos estoques acabaram e, mesmo que os insumos venham a tempo, a cerveja só ficaram pronta dentro de 35 a 40 dias", explica Bruno Parreira, sócio-proprietário da empresa.

Saiba essa notícia na íntegra em: Jornal Hoje em Dia http://hojeemdia.com.br/primeiro-plano/greve-de-caminhoneiros-compromete-produ%C3%A7%C3%A3o-de-cerveja-artesanal-para-a-copa-do-mundo-1.626169 
*Rafaela Matias é jornalista rsantos@hojeemdia.com.br

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Clube Jorge & Mateus

Dupla Sertaneja cria clube de cervejas

Do Rock ao Sertanejo. Isso mesmo. Das garrafas comemorativas ou que enfatizam bandas como Iron Maiden, Sepultura, Skank, Nenhum de Nós, Tianastácia, surgiu por meio da dupla Jorge e Matheus o primeiro clube de cervejas do gênero.

Além dos tradicionais kits, o clube de cervejas promove brindes vinculados à dupla. São sorteios de ingressos a shows da dupla, violões autografados, ingressos para camarotes, encontros com os cantores.

Saiba mais em https://www.clubejem.com.br/

terça-feira, 29 de maio de 2018

Cervejaria Sustentável

Cervejaria Sustentável: a indústria do futuro
Por Henrique Oliveira*
Ao longo dos anos de estudo e convívio no universo cervejeiro no Brasil e no exterior, vivenciei práticas e processos ligados a este segmento que, se fossem reunidos em uma única fábrica de cervejas, fatalmente essa se transformaria em uma “Cervejaria Sustentável”, ou seja, uma empresa com um forte viés de responsabilidade econômica, social e ambiental. Entre os itens que observei alguns merecem o seu destaque, pois fizeram a diferença para o setor, agregando valor para si e para a sociedade em que convivem.
O uso responsável da água: Principal produto da cerveja, a água é o elemento mais aplicado neste tipo de indústria, desde a formação da bebida até a lavagem de embalagens, máquinas e equipamentos. Um dos processos em que se mais utiliza a água é o resfriamento do mosto por meio de trocadores de calor para que este atinja a temperatura ideal de inoculação das leveduras. O resfriamento rápido, evita a fixação de dimetil sulfeto no mosto, evitando que a cerveja fique com um gosto vegetal. A água, ao invés de ser descartada, é enviada para torres de resfriamento e é armazenada em caixas d’água criando um sistema fechado de circulação interna voltada ao reuso em diversas outras etapas, como por exemplo, na fase de pasteurização de cervejas. A água de chuva é também reaproveitada no ambiente fabril, sendo esta utilizada para a limpeza externa e para molhadura de áreas verdes.
A cevada como fonte de nutrição: O malte de cevada é um dos principais ingredientes da cerveja. Depois de processada a cevada se transforma em bagaço. Para a Cervejaria Krug Bier, localizada em Nova Lima, o bagaço de cevada é enviado para o Seu Carlos, produtor rural que possui uma pequena fazenda no interior de Minas Gerais. Na propriedade rural, o bagaço é separado em duas partes. A primeira é destinada à fertilização do solo por meio de um sistema de adubação. A segunda é voltada à alimentação do gado. O bagaço de malte é ainda aproveitado na própria cervejaria ou ainda por clientes na confecção de pães onde, ao ser misturado com farinha de trigo especial, produz excelentes pães do tipo gourmet. (Nota: em grandes indústrias a cevada vem sendo utilizada como biocombustível, sendo queimada em caldeiras para formação de vapor).
O aproveitamento de gás carbônico: Durante o processo de fermentação, o mosto cervejeiro produz gás carbônico, um subproduto originário da transformação dos açúcares do mosto em álcool. Ao invés deste gás ser enviado para a atmosfera impactando o efeito estufa, este elemento passa por um processo de limpeza e em seguida é compactado em cilindros para ser reutilizado em outras etapas de fabricação da cerveja, seja no processo de sanitização de barris, seja na extração de cerveja em chopeiras ou ainda no envase ou embarrilhamento da bebida. Cervejarias de grande porte possuem tecnologia capaz de comprimir gás carbônico em até 70 bar de pressão, levando-o ao estado líquido, para ser armazenado em cilindros apropriados.
O emprego eficiente da energia: Toda empresa deve ter o compromisso de minimizar o consumo de energia, investido em tecnologias e soluções que possam reduzir seus impactos. Na cervejaria mineira Sátira, o uso de telhas translúcidas no galpão industrial é uma realidade. Os efeitos são a redução eminente do consumo de energia elétrica. Em outras cervejarias, a troca de lâmpadas de vapor de mercúrio ou sódio por lâmpadas de LED (“light emitting diode”), trouxeram economia de consumo, redução de calor e maior longevidade de uso, uma vez que este tipo de luz dura em média 50 mil horas e as demais lâmpadas duram, aproximadamente, 10 mil. A energia solar é também é utilizada no auxílio do aquecimento da água cervejeira, reduzindo o consumo de gás natural, este substituto do gás liquefeito de petróleo (GLP).
A reciclagem de embalagens: Diversas cervejarias no país passaram a praticar a reciclagem visando eliminar desperdícios. A cervejaria catarinense Lohn Bier, reutiliza as diversas sacas de malte as transformando em sacolas, feitas por costureiras da região. Após customizadas, elas são reutilizadas por empregados e clientes. Caixas de papelão, invólucros plásticos, garrafas e latas são enviadas para catadores de materiais reciclados que encaminham para diversas empresas especializadas. Atualmente, o uso de growlers e sifões (reservatórios de cervejas laváveis que são reenchidos, por meio de envasadoras específicas) estão sendo utilizados por consumidores, reduzindo o consumo de garrafas “one way”.
Por fim, outros atos que correspondem à uma Cervejaria Sustentável são: a prática da ética e a conduta da integridade; a contínua atenção e prestigio à comunidade, através da geração de emprego, renda e a formação de profissionais de alta performance, capazes de repensar como são utilizados os recursos atuais, apresentando inovações cada vez mais sustentáveis e; acima de tudo, ser um contribuinte de impostos pagando-os ao Estado e destinando parte destes à projetos sociais, visando a promoção da cultura, do esporte e da educação, (incluindo a conscientização do consumo moderado ou seja “beba menos, beba melhor”), firmando a cervejaria como um membro ativo e bem-vindo na comunidade em que convive e entre os seus clientes, fornecedores e demais stakeholders, que confiam em seus produtos e nas suas convicções e crenças. No futuro, uma cervejaria sustentável certamente será diferencial competitivo de mercado. Vida longa as cervejarias sustentáveis!
Um brinde!
 *Henrique Oliveira é escritor, pós graduado em Controladoria e Finanças pela FGV e é gestor de governança, riscos e Compliance do ramo siderúrgico. Palestrante, é consultor do segmento de cervejarias, proprietário da marca Cerveja Ave César e autor do livro “Brasil Beer – O Guia de Cervejas Brasileiras”. 
Real Time Web Analytics