segunda-feira, 17 de julho de 2017

APL da cerveja artesanal de Minas Gerais

Arranjo Produtivo Local da Cerveja Artesanal

Um marco efetivo do "Terroir" da cervejarias mineiras na região metropolitana da Capital.  A presença de todos os interessados e entusiastas é importante e bem-vinda.

Região Metropolitana de BH será reconhecida como polo produtor de cerveja artesanal

O Governo do Estado de Minas, através da Secretaria Extraordinária de Estado de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), irá reconhecer no próximo dia 22 (sábado), o Arranjo Produtivo Local (APL) das Cervejarias Artesanais da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O APL é composto por um conjunto de empresas de um segmento produtivo, localizadas na mesma região, trabalhando de forma cooperada e sinérgica. O ato simboliza o reconhecimento, por parte do Estado, da importância do setor para a economia local.

O titular da Seedif, Wadson Ribeiro, explica que Minas Gerais possui cerca de 40 arranjos produtivos locais de outros setores como gemas e jóias, calçados, móveis e fruticultura reconhecidos em todo o estado. No final de maio deste ano, a microrregião de Juiz de Fora foi a primeira a integrar a política pública do governo do estado em incentivo às atividades relacionadas à cadeia produtiva de cerveja.

“Minas é o segundo maior estado em volume de produção e em número de microcervejarias do Brasil. O Arranjo potencializa a produção, favorece o comércio e a capacitação, além de gerar emprego. Também é um instrumento para o turismo da cidade”, explicou.

Segundo o secretário, o documento auxilia, por exemplo, na compra de matérias primas, maquinário e na transação comercial. “Quando se tem um ramo importante como esse se desenvolvendo, gerando emprego, auxiliando no crescimento do turismo local, há, também, geração de renda para cidade, que significa mais emprego e uma vida melhor”, ressaltou o secretário.

Informações do Ministério da Agricultura apontam que o estado possui 61 microcervejarias registradas, 31 apenas na região da grande BH. Dados do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de MG (SindBebidas), indicam que mensalmente sejam produzidos em todo o estado 1,5 milhão de litros de cervejas artesanais. A previsão de crescimento do setor em 2017 é de 14%.

Para o superintendente-executivo do SindBebidas, Cristiano Lamego, o reconhecimento do governo do estado do APL de cervejas artesanais deve fortalecer e impulsionar o setor. “O reconhecimento é o verdadeiro fator de transformação do nosso setor em um polo organizado e forte, sendo assim capaz de efetivamente gerar valor e, com isso, aumentar a competitividade de nossas cervejarias. Também é importante para a definição de políticas públicas adequadas a nossa realidade”.

Ainda segundo o SindBebidas, estudos mostram o grande potencial do turismo aliado a produção de cerveja na Grande Belo Horizonte. Aliado a isto, Belo Horizonte e região tem se notabilizado pela crescente oferta de bares e restaurantes especializados em cervejas artesanais, contribuindo com a difusão da cultura cervejeira e consequente aumento de mercado.

“A importância se deve pelo ato de a partir de agora estarmos inseridos num programa de Arranjos Produtivos Locais formal e com isso termos acesso a ações e políticas públicas que de fato atendam as demandas do nosso setor. Com a parceria formada a partir do reconhecimento abre-se um leque de oportunidades de ações que contribuirão para escrever a história do setor e assim cumprir nosso papel econômico e social”, ressalta Lamego.

Serviço:

Evento: Solenidade de Reconhecimento do Arranjo Produtivo Local da Cerveja Artesanal da Região Metropolitana de Belo Horizonte

Data: 22 de julho (sábado)

Horário: 11 horas

Local: Museu Abílio Barreto - Av. Prudente de Morais, 202 - Cidade Jardim, Belo Horizonte - MG



quinta-feira, 13 de julho de 2017

Compliance nos negócios

Por um mundo melhor

O certificado abaixo, refere-se ao primeiro grupo de formandos com especialização internacional certificada pelo Chartered Institute for Securities & Investiments (CISI) no Brasil, após exames aplicados pela representante da CISI, Thomson Reuters.
Vamos em frente, por um ambiente de Compliance cada vez melhor, respeitado e com os mais altos padrões de integridade.

Um brinde!

domingo, 9 de julho de 2017

Cursos Cervejeiros

ACervA Mineira promove dois novos cursos voltados para o segmento de cervejas

Retransmitimos as palavras de Rafael Marques da ACervA Mineira:

Vão rolar 2 cursos na Escola Experimente - centro de educação cervejeira pelo qual sou responsável - no mês de agosto que acredito serem de interesse de vocês. 


Produção de cerveja: processos, estilos e tecnologias

Curso teórico de nível avançado, com duração de 24 horas, ministrado por Carlos Henrique de Vasconcelos, mestre-cervejeiro da HB, e Daniel Gontijo, co-fundador da ACervA MG  e criador da Smedgård. 

Daniel abordará processos históricos de produção correlacionados aos estilos e às tecnologias de cada era (da antiguidade à
atualidade), enquanto Carlos Henrique ministrará teoria avançada sobre produção de cerveja: mosturação, fermentação, maturação e refinamento do fermentado.

--> A ementa completa estará disponível a partir da próxima quarta, 12/7.
--> As aulas acontecerão de 21 a 24/8 e de 28 a 31/8 (19-22h)


Mídias sociais

A imagem pode conter: 1 pessoaCurso voltado para pessoas do mercado cervejeiro (caseiros, ciganos e microcervejeiros, donos de estabelecimentos comerciais...) que não sabem muito bem como explorar as redes sociais de forma eficiente e, consequentemente, não divulgam a sua marca e seu produto de forma adequada para o público. Será ministrado por Ana Paula Coelho, graduada em Publicidade e Propaganda e MBA em Gestão Empreendedora em Marketing Digital, e terá duração de 12 horas.
--> As aulas acontecerão dias 9 e 10/8; 16 e 17/8 (19-22h)

O lançamento e as matrículas começarão semana que vem, 12/7. Caso alguém tenha interesse nesses cursos (ou em outros oferecidos pela Escola), favor enviar e-mail diretamente para rafamarques1@yahoo.com.br


--> Membros da ACervA MG terão desconto de 10%.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Mapa Cervejeiro de Minas Gerais

Mapacervejeiro.com entra em sua segunda edição

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Dia 27 de junho foi relançado o Mapa Cervejeiro de Minas Gerais, na uma ferramenta especial para o turismo cervejeiro no Estado mineiro. Com um editorial variado, fui convidado para falar um pouquinho sobre a história do setor na região das montanhas. Com a criação da Estela, o mapa teve o apoio das cervejarias Falke Bier, Bäcker, PubChopp, Prússia Bier, Gotter, Sátira, Aleluia, Loba. Os bares parceiros que também deram a sua contribuição foram Agosto Butiquim, Bar Sapucaí, Cervejaria Escola Mirante, Laviola Cervejaria de Catas Altas. O Centro Cervejeiro, Lamas Brew Shop BH e Confraria do Malte e a Água Minera Viva não ficaram para trás. O design ficou a cargo da Eh Up! Comunicação. A genialidade do mapa, seu conceito e processo ficou por conta da Estrela Brasil Produções e Eventos, (lê-se cervejeira Cindra Gomes) e tem o apoio institucional do Sindbebidas e patrocínio da Codemig.

O mapa é gratuito e está disponível nas lojas especializadas em cervejas e pontos turísticos em geral.

Aqui vai o Editorial Histórico do mapa:
A rota do novo descobrimento da cerveja

Ao longo dos séculos, Minas se tornou um solo arraigado de culturas, variante nas artes, na arquitetura e sobretudo na gastronomia, construída por nativos e complementada por imigrantes de diversas partes do mundo, em processos e tempos de imigração distintos. E foram esses imigrantes que trouxeram as bebidas espirituosas, fermentadas, ao qual se destacaram o vinho e a cerveja.

Desde 1841, a cerveja se fez presente em Minas através da primeira fábrica de licores e cervejas que se tem notícia, mais precisamente na Rua Direita, casa 45, em Ouro Preto. Ali talvez tenha sido o marco de um setor que, vinte anos depois se transformou num vultoso polo cervejeiro em Juiz de Fora.

Após a década de 1930, seja pela quebra da bolsa de nova-iorquina, seja pelo baixo preço do café nacional, as diversas cervejarias mineiras encerraram as suas atividades, levando o setor praticamente à estaca zero. O seu ressurgimento, na década de 1960, se firmou com indústrias de porte, lançadas inclusive em mercado de capitais, como a Cia. Alterosa de Cervejas e a CMC – Cia. Mineira de Cervejas. 

Apesar do esforço de ambas, Minas foi dominada pelas grandes empresas do eixo Rio-São Paulo, mas não seria esse o fim. 

O mineiro Luiz Otávio Possas também teve o seu forte protagonismo na história da cerveja em Minas Gerais com a criação da cervejaria Kaiser em 1980, que nasceu com a árdua missão de competir com a Brahma eAntarctica e, mesmo que só, manteve a chama ativa por alguns anos.

Porém, graças aos trabalhos incansáveis da Krug Bier e da Cervejaria Bäcker, ambas fundadas em 1997, a chama amarela da cerveja especial reascendeu em Minas, revitalizando o velho hábito de tomar uma cerveja da casa, com o olhar do dono, que gosta e sabe bem o que faz. A esse bom hábito, associado ao prazer de dividir, estudar e celebrar é o que chamamos de “cultura cervejeira” – que está brilhando em cada copo como nunca. É como se tomássemos um gole de luz, repleto de alegrias e felicitações.


Esse mapa é a luz que irá te iluminar em busca de uma boa cerveja, que te levará ao encontro de bons momentos e que encurtará a distância entre amigos que irá conhecer. Esse mapa, sintetiza a cultura cervejeira em Minas. Boa viagem! 


Real Time Web Analytics