quarta-feira, 25 de maio de 2016

Encontro Nacional das ACervAs 2016

Encontro das ACervas: O maior encontro de cervejeiros artesanais ocorre amanhã no Rio de Janeiro

Acontece de 26 a 28 de maio o maior encontro nacional de cervejeiros artesanais do país. Promovido pela ACervA Carioca, o evento reúne amigos, curiosos, profissionais, mestres, microcervejarias, cursos, palestras, trocas de idéias e claro muita cerveja...boa!

Aclamado desde 2006, o XI Encontro Nacional das ACervAs de tão bacana, nostálgico e de vanguarda merecia fazer parte do calendário turístico brasileiroDurante o evento também ocorre o Concurso Nacional das ACervAs, que avalia as melhores cervejas caseiras produzidas por seus associados.

E nesse movimento que surgem novas receitas cervejeiras, novos empreendedores e microcervejarias, além de discussões de caráter político, econômico e social.

O evento é simplesmente imperdível!

Um brinde a todos nós associados das ACervAs que fazemos da cultura cervejeira um momento melhor há exatamente uma década.


terça-feira, 24 de maio de 2016

Receita Cervejeira

Arqueólogos descobrem receita de cerveja de 5.000 anos atrás na China

rdxods84etzsi8rvt8hp
Uma receita de cerveja com mais de 5.000 anos de idade foi recentemente reconstruída por pesquisadores. É a mais antiga receita dessa bebida na China, e o mais antigo uso documentado de cevada no país.

A descoberta não é apenas uma sugestão fora do convencional para cervejeiros artesanais: ela nos diz algo sobre a cerveja e sua importância no mundo há cinco milênios.
Arqueólogos da Universidade Stanford escavaram ao longo do rio Wei e encontraram algo intrigante: um jogo incrivelmente completo de equipamentos para fabricação de cerveja. E, na parte interna, estava algo ainda melhor: resíduos da bebida fabricada neles há muito tempo.
Depois de analisar os restos grudados no equipamento, os pesquisadores confirmaram que se tratava de sobras da espuma de uma cerveja de 5.000 anos atrás. Eles também foram capazes de descobrir a receita por trás dela: uma combinação improvável - mas deliciosa de se ouvir - entre cevada, painço (também conhecido como milhete ou milho-miúdo), lágrimas-de-jó (planta também conhecida como capim-de-nossa-senhora) e tubérculos. A receita foi publicada na revista PNAS.
Esta receita posiciona o cultivo de cevada na China em 1.000 anos antes das estimativas anteriores. Isso significa que, muito antes de as pessoas comerem cevada na China, elas estavam preparando bebidas alcoólicas com ela. As pessoas plantavam para fazer cerveja e, com o passar do tempo, decidiram comer a cevada também - e não o contrário.
Em outras palavras, a produção de cerveja não foi uma alternativa agrícola que aconteceu porque as pessoas tinham tanto de uma cultura que precisaram encontrar usos alternativos. Em vez disso, a cerveja era uma parte importante de dietas antigas, tanto que havia fazendas inteiras para acomodá-la.
Foto por Tim Sackton/Flickr

Estudos técnicos cervejeiros

Taberna do Vale promove aula a cervejeiros caseiros e artesanais

Oportunidade boa para quem que aprender mais sobre práticas cervejeiras. Veja o convite:



sexta-feira, 20 de maio de 2016

Água na Boca Beer Fest

Água na Boca Beer Fest ocorre em Niterói


Os amantes da cerveja que se preparem: o Campo de São Bento será tomado hoje, amanhã e domingo, das 14h às 22h, pela primeira edição do Água na Boca Beer Fest. 

Serão oferecidos mais de cem rótulos e mais de 50 variedades de chopes artesanais. O público poderá harmonizar as bebidas com opções gastrômicas espalhadas por food trucks, food bikes e barracas. Por fim, haverá ainda shows com artistas como Baia, Devir e Bella Godiva. O evento, uma parceria da Rota Gourmet com O GLOBO-Niterói, tem entrada gratuita.

Nove das cervejarias artesanais são do estado do Rio. Entre elas, a Búzios, a Praya, a Mohave, e a Irada!. A única exceção é a Antuérpia, que vem direto de Juiz de Fora, Minas Gerais. Cervejas consagradas no mundo inteiro, como a Goose Island, dos Estados Unidos, e as alemãs Hoegaarden e Franziskaner também marcarão presença.

A quase novata Madá é uma das que estarão presentes no festival. Suas bebidas são comercializadas desde o final de 2015. Criada por três sócios de Botafogo e Copacabana, ela é, como muitas pequeninas, cigana, o que significa que usa a infraestrutura de outras marcas para a fabricação das suas as receitas.

Hoje será oferecido, às 15h, o pernil do chef, do Jay Jay Truck, hambúrguer de pernil no pão de ameixa ou de pimenta chipotle, coberto com queijo branco, bacon e geleia de pimenta. Às 17h, será a vez do arroz de cordeiro do chef Fred Mayer. Amanhã, as pedidas são, às 15h, o Larica Burger, do Larica Gourmet, e a costela bovina do Ossos Foodtruck, às 17h. Para finalizar, no domingo, às 14h30m e às 15h30m, haverá degustação das cervejas Bohemia Bela Rosa, Caã-Yari e Jabutipa, comandada pelo beer sommelier Charleston Agrícola.
Mais informações: www.aguanabocaniteroi.com.br
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/um-evento-dedicado-paixao-pela-cerveja-19340348#ixzz49D9wklBu 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Mercado Nacional de Cerveja

Cresce para quase 400 número 
de cervejarias registradas no país

Em menos de 40 dias, número subiu de 320 para 397, diz ministério.
Atualmente são 5.254 produtos de cervejarias registrados na Agricultura.

Do Estadão Conteúdo
As cervejas artesanais atraem turistas para a cidade (Foto: Leonardo Vellozzo/Ascom Nova Friburgo)
Número subiu de 320 para 397 em 39 dias, diz ministério. (Foto: Leonardo Vellozzo/Ascom Nova Friburgo)
 O número de cervejarias registradas no Ministério da Agricultura passou de 320 para 397 em 39 dias. Os dados compreendem o período de 8 de abril até a terça-feira (17). O crescimento se deve à abertura do mercado para novas tendências, principalmente as cervejas artesanais, informa o ministério, em comunicado. Atualmente são 5.254 produtos de cervejarias registrados no ministério, distribuídos em cerca de 80 tipos diferentes de cerveja.
(...) Segundo a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), a produção de cervejas alcançou 1,4 bilhões de litros em 2014 e o setor empregou 2,2 milhões de pessoas.

FIEMG e empreendedores mineiros

Acompanhe histórias de quem já contou com a parceria do Sistema FIEMG para tornar a indústria mineira mais inovadora


Veja a história da industria cervejeira mineira em http://www7.fiemg.com.br/nosestamosjuntos/ 



Expocachaça e Brasil Beer 2016


A Expocachaça, evento pioneiro, a maior, e a mais importante e conceituada feira do setor, entra em seus 19 anos de atividades e em sua 26ª edição e será realizada no período de 9 a 12 de junho de 2016, no Expominas, em Belo Horizonte, Minas Gerais.
Para 2016, o evento apresentará muitas novidades e surpresas, mantendo o formato de Feira e Festival que a consagrou junto aos expositores, público e mídia num cenário onde negócios, entretenimento e diversão, gastronomia, consumo, lazer e cultura acontecem simultâneamente.



Vendas: DEPARTAMENTO COMERCIAL
José Lúcio Mendes Ferreira
E-mails: jlucio@cachacasdobrasil.com.br / joseluciomferreira@gmail.com
Cel: (31) 99813-9731 / 99976-4949
Tel: (31) 2532-2379 (Telefone somente para recados).

Estudos Técnicos Cervejeiros

A História do Brasil e de Minas Gerais

No dia 17 de maio, Henrique Olivera palestrou para profissionais do segmento, meio acadêmico e curiosos sobre a história da cerveja no Brasil e em Minas Gerais, retratando acontecimentos culturais, econômicos e sociais.

Na história da cerveja no Brasil, Henrique vinculou o seu livro Brasil Beer - O Guia de Cervejas Brasileiras. Já na história da cerveja em Minas Gerais foi mencionado o prelo de seu mais novo trabalho, Cervejarias Mineiras - Da imigração ao copo. O evento contou com a participação do cervejeiro Marco Falcone.

Foi um momento lúdico, com muita participação do grupo por meio de uma agradável seção de "Perguntas e Respostas". Houve sorteio de brindes dos apoiadores ( Backer, Furst Beer, Ave César e Krug Bier) e emissão de certificado.

O evento ocorreu na Biblioteca Pública de Belo Horizonte.


terça-feira, 10 de maio de 2016

Cervejaria Malta

Diretoria de cervejaria diz que prisão dos irmãos Schincariol é ilegal


A diretoria da Cervejaria Malta, de Assis (SP), afirmou que a decisão judicial que determinou a prisão preventiva de seus sócios, os irmãos Caetano Schincariol Filho e Fernando Machado Schincariol, é ilegal e que já foram tomadas as medidas cabíveis para reverter a situação dos empresários. Os irmãos foram presos por crimes tributários cometidos desde 2011, segundo o juiz Luciano Tertuliano da Silva.
Na nota enviada à TV TEM pela empresa nesta quarta-feira (4), a direção afirma que "no que concerne à decisão judicial que determinou a prisão preventiva dos sócios da Cervejaria Malta, informamos que esta já foi objeto da medida judicial cabível face sua flagrante ilegalidade.  Possivelmente, ainda nesta semana, o Tribunal Regional Federal  da 3ª Região se manifestará sobre a legalidade da decisão proferida pelo magistrado de Assis, oportunidade em que acreditamos seja sanada a ilegalidade perpetrada." (...)
(...)De acordo com a ação do MPF, os dois empresários foram condenados em diversos processos nas justiças Federal e Estadual por crimes tributários e mesmo com as condenações eles mantiveram as práticas ilícitas, o que justifica, segundo o órgão, o pedido de prisão. Desde 2001, os réus responderam a 11 ações penais na Justiça Federal por crimes tributários, como apropriação indébita previdenciária e sonegação fiscal, além de formação de quadrilha e fraudes.
Os empresários foram condenados em todos os processos e atualmente, eles ainda respondem a ação penal de 2015 na 1ª Vara de Assis. Ainda de acordo com o MPF, atualmente o débito da cervejaria com a Receita beira R$ 2 bilhões, sendo R$ 1,09 bilhão referente a créditos tributários inscritos em dívida ativa e R$ 828 milhões em negociação de parcelamento.
Penas unificadas
Na época da prisão dos dois em março deste ano, o mesmo juiz decidiu que as penas de cada um dos acusados fossem unificadas em virtude de todos esses processos que eles respondem na Justiça.  Fernando Machado Schincariol foi condenado a 4 anos e 9 meses de prisão, que devem ser cumpridos em regime semiaberto. Ele foi levado para penitenciária de Marília. Já o irmão dele, Caetano Schincariol Filho, foi condenado a 9 anos e 7 meses de prisão em regime fechado, que será cumprido na penitenciária de Assis.

Fernando e Caetano são da família Schincariol, mas de acordo com a Justiça Federal, os crimes cometidos por eles não têm relação com a cervejaria do tio, que em 2011, foi vendida a um grupo japonês.
Os irmãos entraram com recursos no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal. Mas, uma decisão do STF, de fevereiro, diz que qualquer réu condenado em segunda instância deverá cumprir a pena antes de se esgotarem os recursos possíveis da defesa, como é o caso dos irmãos. Na época da prisão, o advogado dos irmãos também não quis se manifestar.
Confira nota enviada na íntegra:
"A Diretoria da Cervejaria Malta, por intermédio de seus advogados, informa que, infelizmente, não é possível divulgar maiores detalhes sobre o processo objeto da reportagem, na medida em que o mesmo corre sob segredo de justiça.
A defesa, inclusive, recebeu com estranheza a riqueza dos detalhes dada à imprensa com transcrições do pedido do Ministério Público Federal, razão pela qual serão adotas as medidas legais cabíveis para apurar as responsabilidades.
No que concerne à decisão judicial que determinou a prisão preventiva dos sócios da Cervejaria Malta, informamos que esta já foi objeto da medida judicial cabível face sua flagrante ilegalidade.  Possivelmente, ainda nesta semana, o Tribunal Regional Federal  da 3ª Região se manifestará sobre a legalidade da decisão proferida pelo magistrado de Assis, oportunidade em que acreditamos seja sanada a ilegalidade perpetrada."

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Capitão Senra

Capitão Senra vai pilotar nos céus

Capitão Senra foi uma cerveja desenvolvida pela Cervejaria Bäcker que homenageia e resgata a história do capitão dos batedores do Exército na época do presidente Juscelino Kubitschek que tem mais de 50 anos de paixão pelas motos Harley Davidson.

Foi uma ideia muito bacana promovida pela turma de Marketing da Backer. Tive a oportunidade de guardar uma garrafa autografada pelo próprio Capitão em uma feira de cervejas em Belo Horizonte.

Hoje a sua moto pediu para ser guardada. O capitão colocou o descanso e se foi para os céus. É de lá que ele continuará a pilotar.

Esse personagem com certeza fará falta, e será relembrando em nossas rodas cervejeiras, ao tomar a aquela cerveja que passou a ser a sua preferida: aquela que leva o seu próprio nome: Capitão Senra.

Um brinde Capitão! Boa viagem!

Foto: Paulo Navarro.
Real Time Web Analytics