sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Websérie cerveja feita em casa Eisenbahn

Websérie ensina a produzir cerveja caseira

O seriado é uma plataforma de apoio ao concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, que elege as melhores cervejas produzidas por cervejeiros caseiros

Websérie da Brasil Kirin ensina a produzir cerveja caseira
O investimento das marcas em conteúdos para a Internet continua em alta. A Eisenbahn, marca de cervejas especiais da Brasil Kirin, lançou a websérie “Cerveja Feita em Casa”. O seriado é uma plataforma de apoio ao concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, que elege as melhores cervejas produzidas por cervejeiros caseiros.
Ele traz a participação de conhecedores de cerveja, sustentando um dos objetivos do Concurso que é levar conhecimento para os apaixonados pela bebida. A websérie está no canal da marca no YouTube, com oito episódios com duração média de dez minutos.
Cada um deles apresenta o processo de fabricação da cerveja de ponta a ponta, desde os ingredientes até os equipamentos necessários para se produzir cerveja em casa.
A apresentação fica por conta de Juliano Mendes, consultor da Eisenbahn, Gerhard Beutling, mestre-cervejeiro da marca e Daniel Presser, cervejeiro caseiro associado à ACERVA –SC (Associação dos Cervejeiros Artesanais de Santa Catarina).

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Revista Top View Curitiba

Dicas de Cervejas

Estivemos com a equipe da Revista Top View, uma das mais bem conceituadas da cidade de Curitiba e do Estado do Paraná, para darmos algumas dicas sobre cervejas gourmet. O resultado pode ser visto na magazine do mês de novembro. A Top View possui um site sobre seu conteúdo que pode ser apreciado on line. http://www.topview.com.br/. Bem diagramada, seu portfólio de matérias é variado, rico de informação e muito bem apresentado.

Agradecemos desde já a atenção e carinho recebidos da Editoria Top View! Feliz 2014!

Sobre a revista
A Top View é uma publicação mensal da View Editores. Há 12 anos no mercado, tem venda em bancas e distribuição dirigida para toda a região de Curitiba. É uma revista de variedades com foco regional e respiro internacional, voltada para um público exigente, bem informado, de ambos os sexos e com alto poder aquisitivo. Com edições temáticas, traz sempre as últimas novidades em matéria de arquitetura e design, viagens, gastronomia, moda, personalidades e coluna social. 

Trajetória 
A Top View surgiu em 1999 como coluna social da revista Top Magazine. No ano seguinte virou encarte desta mesma publicação e em 2001 tornou-se uma revista independente, com foco social e no mercado regional. A Top Magazine mudou-se para São Paulo em 2004, consolidando-se como uma revista de distribuição nacional. Ao mesmo tempo, a Top View permaneceu e se fortaleceu na capital paranaense. Hoje ela é a principal referência no mercado editorial do estado.

Cerveja Industrial


Uma cerveja e dois copos! Mas qual das cem?



Por Heloisa Lupinacci

Dia desses, em um restaurante de comida baiana, o cliente entrou, sentou e perguntou ao garçom: “Que cerveja tem?” O garçom pegou o cardápio e respondeu: “Mais de cem”. Faz mais ou menos 10 anos que tudo começou a mudar – e de três anos para cá, de forma cada vez mais intensa. Estamos no meio de uma transição, batizada, pelos entusiastas, de revolução cervejeira. Ela consiste, principalmente, em ampliar tanto a variedade da oferta quanto da demanda de cervejas. Ela é responsável pela propagação de termos como ale e lager, porter e stout, dunkel e krystal.

No Brasil, essa revolução tem dois marcos iniciais. Começou a fermentar com a chegada da Erdinger, em 2001, que ensinou para quase todo mundo que cerveja pode ser de trigo, que pode ter ritual de serviço e que não precisa não ter gosto. E com a ampliação da distribuição da Colorado, que, aberta em meados dos anos 1990, ganhou força de distribuição também no começo dos anos 2000. Pronto, agora além de cerveja importada especial, havia cerveja brasileira especial também.
Dez anos depois, o mercado no Brasil deu o primeiro sinal de mudança: “Em 2010, pela primeira vez, houve desaceleração do crescimento das cervejas populares; enquanto as microcervejarias crescem sem parar”, diz José Raimundo Padilha, sommelier da The Beer Planet.
As novas cervejas começaram a conquistar os bebedores. Cada vez mais gente passou a explorar esse novo terreno e a cansar da cerveja comum.
A cerveja comum é conhecida como “tipo Pilsen”, referência ao estilo criado em Pilsen, na República Tcheca. Mas na verdade o que vem na garrafa é uma american light lager. O que isso quer dizer? É uma lager, ou seja, uma cerveja que fermenta em baixa temperatura – o que gera menos compostos de sabor –, é clara e tem origem nos EUA. É uma cerveja com “baixa carga sensorial”, um jeito chique de falar que não tem gosto. É feita para matar a sede, para ser tomada bem gelada, e, por ter pouco álcool, para ser bebida em grandes quantidades. Ela quase não tem amargor, não tem muito cheiro, é desenhada para agradar um amplo espectro de paladares (ou melhor, para não desagradar).
Em contraponto, a cerveja especial pode ser de muitos tipos, pode ter todos os aromas imagináveis e complexidade de sabor que exige bom vocabulário para ser descrita. Viva a revolução, que tem como principal vitória a diversificação da oferta – o Paladar prefere muitas opções a poucas. Mas na esteira dessa transformação, submersos no mar de cerveja, se falam e se ouvem algumas besteiras.
A primeira delas é: “agora não bebo mais cerveja industrial”. “Do ponto de vista do processo, toda cerveja é industrial”, crava a sommelière de cerveja Cilene Saorin. “A diferença é o porte: há cervejarias de grande porte e de pequeno porte.” Mas antes de dizer “é isso, eu não tomo cerveja de cervejaria de grande porte”, continue ouvindo Saorin: “As cervejarias de grande porte têm acesso a uma série de tecnologias e competências que garantem a qualidade da cerveja.”
Se industrial é um adjetivo objetivo, grande é bem relativo. Tão relativo que, na Holanda, grande é a cervejaria que produz mais de 200 mil hectolitros por ano; na Alemanha, é aquela que produz mais de 500 mil hectolitros por ano, e nos EUA, é a que passa de 7 milhões de hectolitros anuais. Noves fora, quer dizer, tirando as megacervejarias, fizemos uma prova dos nove, com rótulos percebidos como artesanais, mas produzidos em fábricas industriais e em escala suficiente para que sejam distribuídos ao redor do globo.

Beer Tour by Rodrigo Lemos


Retransmitimos as palavras de Rodrigo Lemos, do Beer Tour Minas.

"Fala pessoal, tudo joia?

O próximo Beer Tour está agendado para o dia 14 de dezembro, sábado! Na oportunidade, visitaremos três cervejarias de Belo Horizonte e teremos também nosso café da manhã cervejeiro e nosso almoço harmonizado.
Nós nos encontraremos na Gusto Distribuidora, que fica na Rua Bernardo Guimarães, 1180, às 8:30 da manhã do dia 14 para o nosso café da manhã cervejeiro!

De lá, iremos para a Inconfidentes, microcervejaria que nasceu da junção de três microcervejarias, a Grimor, a Jambreiro e a Vinil. Visitaremos ainda a Cervejaria Escola Taberna do Vale. De lá iremos para a Küd, no Jardim Canadá, onde teremos o nosso almoço no Brew Pub, harmonizado com um dos chopes da cervejaria. Após o almoço retornaremos ao ponto de partida, que é a Gusto, que fica próxima à Praça da Liberdade, na Savassi. A previsão é de chegarmos a BH por volta de 4 da tarde.
Para adquirir o passaporte basta me mandar um email para o rjlemosarq@yahoo.com.br que eu envio os dados para a inscrição! Qualquer dúvida estou à disposição!
Um abraço! "

Rodrigo J. Lemos
Zitólogo e Beer Sommelier
beerarchitecture.wordpress.com
(31) 9978-9713

__._,_.___

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Unilever Sunlight

Bebidas para menores

Roberto Justus ficou nervoso após a realização da décima atividade em “O Aprendiz”. Os participantes precisaram divulgar uma marca de cervejas em dois quiosques do Rio de Janeiro. Durante o desafio, a produção colocou um menor de idade no caminho para ver a reação dos participantes. E Evandro Banzato   e Rodrigo Solano foram flagrados tentando vender bebida para um menor de idade, o que levou a dupla para a sala de demissões.

Wäls Soft Opening


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Rota Leste


A revista de luxo Rota Leste é de autoria da Gandin Editora. Geniosamente diagramada, contém papel de altíssima qualidade, é repleta de artigos bem redigidos relacionados a turismo, objetos de desejo, satisfação plena e estilo de vida. É uma Magazine nos envolve por completo! 

Em outubro tivemos o prazer de sugerir a rota cultural da Alemanha, naturalmente regado a boa cerveja, BMW, Berlim, música e castelos medievais. 

A revista do mês de novembro leva o leitor a descobrir a cidade de São Paulo de maneira diferente. Enfim, trata-se de um material distinto do que é normalmente encontrado nas livrarias e casas especializadas. Boa leitura!


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Revista Passo a Passo 148




O livro Brasil Beer está na revista Passo a Passo do Sebrae do mês de novembro. A revista é rica em cases de empreendedorismo, investimentos calculados, e artigos elaborados por especialistas do mundo empresarial.  Para conhecer a revista eletrônica acesse:  http://www.sebraemg.com.br/diversos/arquivos2013/web/revista/anoXIV/148/

Mercado Russo de Cervejas


Cerveja procura seu espaço no país da vodka



Os gigantes da cerveja viram uma queda de 10% nas vendas internas nos primeiros nove meses deste ano

“Por alguma razão desconhecida, a cerveja estrangeira na Rússia está se tornando rapidamente parecida com a nacional”, diz, em tom de brincadeira, Ígor Arnautov, analista da Investkafe.

Mas tal metamorfose não deve surpreender. Os maiores produtores estrangeiros há muito compraram as principais fábricas de cerveja da Rússia e produzem nessas instalações as marcas estrangeiras mais populares na Rússia. A parcela do mercado das importadas é de apenas 2,5% (cerca de 250 milhões de litros por ano).

Os gigantes da cerveja viram uma queda de 10% nas vendas internas nos primeiros nove meses deste ano. A União dos Cervejeiros Russos prevê que a contração do mercado continue, pelo menos, até o final de 2014.

Isso porque eles planejam deixar de comercializar cerveja em embalagens de plástico com mais de 2,5 litros, comuns na Rússia, assim como cervejas fortes, com mais de 6 graus de teor alcoolico, em garrafas com mais de dois litros, a partir do dia 1° de janeiro de 2014.

Os cervejeiros deram esse passo voluntariamente para mostrar boa vontade com a política de redução do abuso de álcool no país, segundo comunicado da união. De acordo com Arnautov, até o final de 2014 o mercado sofrerá uma redução de 25% a 30%, comparado ao de 2008.

Consolidação

Hoje, a Rússia ocupa o 29º lugar no ranking mundial de consumo de cerveja, segundo dados da união, com um consumo anual de 65 litros por pessoa. Para o diretor do Centro de Pesquisa dos Mercados Regional e Federativo do Álcool, Vadim Drobiz, porém, o número chega a mais de 70 litros.
Em 2007, quando foi registrado o pico de consumo de cerveja na Rússia, o aumento foi de 5,5 vezes em relação a meados da década de 1990. Nesse ano, cada russo consumiu 81 litros.

“Ao entrar no mercado nacional, as marcas estrangeiras o consolidaram e, obtendo direitos ilimitados de acesso à publicidade, conseguiram excelentes resultados. Em 2007, eles já controlavam 92% do mercado”, diz. O primeiro alerta aos fabricantes eufóricos veio da demografia. De 1992 a 1999 a Rússia viu diminuir significativamente sua taxa de natalidade. Como resultado, em 2007, havia quase três vezes menos jovens do que o habitual consumindo cerveja, e as vendas começaram a cair. A crise de 2008-2009 só veio agravar ainda mais a situação.

“Um antidepressivo clássico são as bebidas alcoólicas fortes”, afirma Drobiz. E quando a economia começou a ter problemas, o consumo mundial de bebidas alcoólicas fracas diminuiu em favor de bebidas fortes, inicialmente mais baratas. Como resultado, em 2010 o consumo da cerveja caiu para 72 litros por pessoa ao ano.

Nesse mesmo ano, o governo russo, cansado de essa indústria imensa não contribuir praticamente com nada para o Tesouro, interveio no mercado e aumentou o imposto sobre o consumo. Antes disso, o orçamento recebia apenas 30 bilhões de rublos (cerca de R$ 2,1 bilhões) pelos 10 a 11 bilhões de litros que os russos bebiam anualmente.
O aumento do imposto não influenciou fortemente o volume da produção, que cresceu entre 2011 e 2012. Além disso, o mercado ficou inundado de cerveja ilegal – que, segundo Drobiz, passou a compor mais de 8% do mercado (cerca de 800 milhões de litros).
Por outro lado, pequenas e médias empresas russas passaram a receber apoio do governo, e também novas grandes fábricas continuaram a crescer (por exemplo, a MPK).

Mais quedas
Neste ano, o catalisador da queda nas vendas foi a proibição da venda de cerveja em quiosques (desde 1° de janeiro de 2013). Assim, a cerveja perdeu cerca de 200 mil pontos de venda em todo o país.

De acordo com Andrêi Altúnin, diretor-geral da “Pivnáia Kompania” (do russo, “Companhia Cervejeira”), as grandes empresas reduziram sua produção e vendas, em média, em 20%.  “O Serviço Federal de Regularização do Mercado Alcoólico quer reduzir o consumo de álcool na Rússia em até 50% até 2020. Isso significa que haverá mais restrições nas vendas de cerveja”, diz.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Cervejaria Wäls

Wäls premiada no Mondial de La Biere

Retransmitimos com louvor a mensagem de José Felipe Pedras:
Mondial de La Biere !!! Não é todo dia que ganhamos um prêmio que dizemos em alto e bom som , É CAMPEÃO ! Das dez medalhas de ouro da competição, 4 ficaram com a Wäls, e a medalha de Platinum , que é dedicada à melhor cerveja do concurso, também ficou com a Wäls!!!! Eu só tenho que agradecer à equipe incrível que se mata diariamente na Wäls, nossos parceiros, clientes e amigos que torcem pelo nosso sucesso! Pai e Mãe por serem sempre tão rígidos e amorosos, ao meu irmão e sócio, todo meu carinho e respeito, você é o cara mais competente do mundo, sem vc ao meu lado, não teria paz para criar e acompanhar o nascimento de receitas tão belas !! Ju, minha linda , obrigado por me acompanhar em todos eventos e ajudar a servir, carregar e me suportar! @kaantonini vc sempre colada na Wäls!! @walscervejas #walsme #wals ! Repetimos, não fazemos cervejas, criamos obras de arte!!!

Apreciar cervejas é muito bom!

Você sabe apreciar a sua cerveja?

Falar de cerveja no Brasil parece ser tarefa fácil quando se trata de um país tropical e apaixonado por uma gelada, não é? Mas a tarefa não é tão fácil assim não…
Por Gabrielle Mazzetti
No Brasil estima-se que existam mais de 200 microcervejarias concentradas nas regiões Sul e Sudeste. As cervejas artesanais atualmente já indicam 0,15% do mercado brasileiro. No ano de 2012 foram produzidos 13,7 bilhões de litros de cervejas no país, incluindo as industriais, o que representa 422 milhões a mais do que as produzidas em 2011.
Henrique Cesar Pires De Oliveira, escritor do livro Brasil Beer – O guia de cervejas brasileiras, um dos mestres cervejeiros mais requisitados do Brasil para montagem de cervejarias e elaboração de fórmulas de cervejas Evandro Zanini e Sady Homrich baterista da banda Nenhum de Nós conversaram com a Residenciais e exploraram o mundo cervejeiro Brasileiro de outra maneira, convidando a todos a conhecerem um novo olhar sobre o assunto.
EvandroHenrique
Evandro Zanini e Henrique Cesar – Foto: Arquivo Pessoal
A “nova cerveja” que aparece nos dias de hoje no Brasil está formada pelo universo Tupiniquim das microcervejarias, diz Henrique. Com o olhar aliado a paixão do dono do negócio, as cervejas artesanais ou gourmets são elaboradas com muito critério, no intuito de encantar os olhos, o nariz e a boca dos clientes, que estão ávidos a curiosidades gastronômicas em torno da bebida.
Dicas e truques
As dicas que dou quando nos deparamos em frente a uma gondola são pelo menos três:
  • Leia o rótulo, valorize a garrafa. Atrás do rótulo está à história do fabricante, o porquê daquela cerveja, o que ele levou a produzir aquela iguaria. Entenda seu nome, o estilo de cerveja que ele está oferecendo a você. Isso vai mudar a maneira de apreciação.

  • Tenha em casa alguns copos especiais para receber a sua cerveja especial. A exemplo, cervejas de trigo, do estilo Weiss ou Weizen são servidas em copos longos, de topo abaulado para receber todo o creme e leveduras, partes integrantes da cerveja. Nesse copo se percebe bem os aromas característicos do estilo. Já as cervejas belgas “gostam” de copos baixos de bojos arredondados para concentrar melhor seus aromas.

  • Faça um pequeno ritual: Ao abrir a cerveja, escute o “ttsss” quando abrir a sua tampa veja a fumaça fria saindo do gargalo. Enxague bem o copo. Escorra bem a água, mas não seque com pano! Coloque o copo a 45 graus e deslize a cerveja. Veja a espuma se formando. Veja o gás se misturando com a espuma, linda. Quando o copo estiver na metade coloque-o de forma ereta e deixe o creme da espuma atingir o seu topo. Aproxime seu nariz, cheire normalmente (nada de cheirar forte, você ficará ofegante!). Associe os aromas com que estava escrito no rótulo, associe a experiências saborosas que você já passou.  Olhe para o copo, passe a mão, tirando o embaçado criado pelo frio. Veja o brilho da cerveja. Leve o copo a sua boca e sinta a textura da cerveja, seu amargor, o frio, o gás…! Meeeuuu Deus do Céu! Tim-tim!

  • Por fim…  Deixe sua cerveja na porta da geladeira. Nada de estupidamente gelada. Elementos muito frios devem ser muito ácidos ou muito doces, ou seja, sorvetudos! Cerveja não é sorvete. Assim como o vinho, trate a sua cerveja de acordo com a temperatura que ela merece. O rótulo normalmente indica a temperatura ideal de serviço.
 As melhores cervejas do Brasil e do Mundo 
No Brasil: Ave Cesar Export; Wals Petroleum;  Backer Medieval; Lund Hefe-Weizen; Falke Monasterium; Bodebrown Blanche de Curitiba; Way; Bierbaum; Bierland; Lund; Dama; Colorado; Invicta; Abadessa Emigrator; Bamberg Camila; Bierbaum Weizen Rauchbier; Seasons Green Cow;  Wäls Dubbel etc. Os brasileiros estão fazendo maravilhas dignas de prêmios nacionais e até internacionais .
No Mundo: Bosteels Deus; Samuel Adams Oktoberfest; Benediktiner Weiss; Meantime India Pale Ale; Lindemans kriek; Westvleteren 12; Brooklyn Chocolate Stout; Pilsener Urquell; Chimay Grand Reserve; La Trappe Blond; Augustiner Edelstoff; BrewDog Punk IPA; Brooklyn Silver Anniversary Lager; Evil Twin Femme Fatale Bret; Fantôme Saison; Fuller’s Vintage Ale.
 Harmonização
A cerveja tem versatilidade. Quer combinar cerveja com comida apimentada mexicana? E japonesa? Nessas situações provavelmente um vinho passaria por um belo de um aperto! Carnes brancas acompanham cervejas claras, mas leves e refrescantes. Carnes vermelhas gordurosas se dão bem com cervejas escuras, encorpadas, tostadas e torradas. As combinações são diversas e podem ser executadas por semelhanças ou diferenças; Já pensou em comer um mousse de chocolate amargo com uma cerveja Porter ou Stout? É simplesmente um espetáculo de harmonização!
Sady Homrich
Sady Homrich – Baterista da banda Nenhum de Nós e Burgomestre
Dicas de Degustação do Burgomestre:
- ao degustar um estilo desconhecido, procure alguma informação sensorial antes de tomá-la. É bom estar preparado para surpresas, já que existem quase 200 sub-estilos;
- cerveja barata não foi feita pra ser degustada, apenas pra ‘encher a cara’;
- sempre valorize a espuma: ela indica a saúde de sua cerveja.
Analise os 5 itens principais:
- aparência (espuma, cor e turbidez); - aroma (frutado, floral, resina. biscoito, caramelo, baunilha, café);
- sabor (amargo, doce, ácido, salgado e azedo); - sensação de boca (corpo, calor, retrogosto);
- equilíbrio final. (impressão geral da cerveja).
Não ostente nem esbanje. Os produtores das melhores cervejas são pessoas simples e apaixonadas. Converse, agregue brinde e desfrute!
Que a fonte nunca seque! 
- See more at: http://residenciais.org/2013/11/voce-sabe-apreciar-a-sua-cerveja/#sthash.8PmCk6ZS.dpuf

Mondial de la Biere

Mente aberta para beber cervejas e experimentar novos sabores

O universo das cervejas especiais tem se expandido cada vez mais no Brasil, com um aumento significativo de produção no país, como mostra a apresentação de centenas de rótulos nacionais no Mondial de La Bière, que terminou neste domingo no Rio de Janeiro.

Mas o grande desafio dos produtores nacionais é adequar o paladar brasileiro às bebidas, que têm sabores mais fortes e encorpados, além de teores mais altos do que a famosa "loira gelada".
A mestre cervejeira e sommelier de cerveja Cilene Saorin, também curadora do evento, disse que para quem quer se aventurar no imenso universo das cervejas, a exigência é só uma.
"Mente aberta para experimentar novos sabores, conhecer novas cervejas, provar gostos diferentes que à primeira vista podem até parecer estranhos. Tudo isso para descobrir qual mais gosta", disse Cilene.

Os cerca de 650 rótulos que estão presentes no Mondial de La Bière foram uma amostra de quase todos os tipos de cerveja que existem no mundo. "Das três grandes famílias: lagers, ale e lambic, as diferentes combinações e graduações alcoólicas, temos hoje pelo menos 150 tipos de cerveja", explicou a mestre cervejeira. (...)

(...) Além disso, o que se destaca em uma cerveja são as notas e o combinado, o que, segundo Cilene, torna a cerveja uma bebida perfeita para acompanhar qualquer tipo de refeição, até as sobremesas. "Existem cervejas que levam adição de temperos, como coentro, café, cacau, notas cítricas - como limão e laranja- , e a maneira como esses ingredientes se harmonizam com o básico de uma cerveja: malte, lúpulo e água, é o que cria combinações quase infinitas, que se adequam a qualquer refeição ou circunstância".

Como exemplo, Cilene cita as cervejas escuras com notas de cacau e café, como a Petroleum, da Wäls, que ganhou a medalha de platina de melhor cerveja do evento, que combina perfeitamente com uma sobremesa.

Perguntada sobre quais tipos de cerveja o apreciador "novato" deve começar, Cilene sugere os sabores mais leves. "As de trigo, que são mais comuns no Brasil, como a weiss e a witbier são ótimas para começar, por terem um teor de álcool mais leve e saírem do comum, além de serem saborosas e refrescantes".
Para quem quem quiser ousar e buscar rótulos em garrafarias e supermercados - que cada vez mais investem espaço para as cervejas especiais - a sommelier dá algumas dicas.
"Cervejas mais leves, de sabor menos amargo e teores alcoólicos mais baixos, combinam com comidas mais leves, como saladas, peixes, frangos e queijos menos gordurosos. E as mais pesadas, vermelhas, mais encorpadas, com mais amargor, combinam com carnes, queijos fortes e comidas mais temperadas".
Cilene reforça que a harmonização não é uma regra absoluta, já que existem pessoas que tendem a aprimorar o paladar e escolher o seu favorito.
Como exemplo Cilene cita um. "O sabor amargo não é natural, ele exige certa apreciação, como disse antes, é preciso estar de mente aberta. Quando a gente se abre para novos sabores, podemos fazer descobertas muito interessantes".

A regra para o bebedor de cerveja que quer se aproximar desse enorme mundo é experimentar.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Ave Cesar Trailers III


Hercules em Belo Horizonte foi uma cerveja caseira feita pelo meu amigo beer sommelier Rodrigo Lemos nos tempos em que se fazia cerveja na casa do cervejeiro Zé Augusto. Lembro-me que havia ficado muito gostosa e rica em sabores e aromas frutados.

O teaser trailer é do filme Hercules - surge a lenda que terá estréia em 2014.




Sinopse: A trama enfoca a história de amor entre o filho de Zeus e a princesa mortal de Creta, prometida para o irmão mais velho do semideus.  Após serem enganados por um maléfico rei, Hércules e o capitão são vendidos como escravos e devem lutar lado a lado para retomar sua liberdade. 

Direção:  Renny Harlin. Roteiro: Sean Hood e Hanna Weg. 

Elenco: Kellan Lutz, Scott Adkins, Liam McIntyre. 

Gênero: Aventura, Ação, Fantasia. Orçamento: 70 milhões. Nacionalidade: EUA.
Produtora: Nu Image/Millennium Films. 
Lançamento: 11/07/2014.

Colorado Titãs


Colorado Titãs: Oncinha pintanda, zebrinha listrada, coelhinho peludo...
A parceria entre grandes bandas de rock e marcas de cerveja virou mesmo uma tendência. Depois de Sepultura e Raimundos, foi a vez do Titãs ter seu nome estampado no rótulo da bebida.

A iniciativa foi possível graças a uma parceria com a Colorado, umas das mais conceituadas cervejarias do país. A ‘Titãs’ será estilo brown ale, com 5,5% de teor alcoólico. A novidade fica por conta da inclusão de laranja na receita. A Colorado possui algumas cervejas que levam mandioca e rapadura em suas fórmulas.

Fonte: Caderno Divirta-se Estado de Minas.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Ave Cesar Trailers II

Gladiator

Em continuidade aos trailers favoritos da Cervejaria Ave Cesar, esse filme premiado com Oscar não poderia ficar para trás. Talvez, um dos melhores trabalhos de Russel Crowe, trata-se um filme épico cheio de batalhas e ação e desejo de ter o melhor: a familia por perto.

O trailer é um clássico que merece ser revisto. O filme é da Universal Studios e DreamWorks.



Gladiador

Mondial de La Bière

Mondial no Brasil: É amanhã!


Tudo pronto para o Mondial de La Bière no Brasil. Sobre o patrocínio da Agrária, The  Beer Planet (referencio meu amigo Jaime Zac) e da Cisper, o Mondial de La Biere foi fundado em 1994, em Montreal, Canadá. Ao longo dos anos e sob governança de JeannineMarois, Presidente e Co-Fundadora do festival, e com a ajuda de sua equipe, o evento tornou-se o mais importante festival de cervejas internacionais na América, com uma reputação que viajou para muitos países. Uma das versões do festival de grande sucesso é o Mondial de La Bière Europa, que nasceu em 2009. Depois de três anos em Estramburgo, a organização do evento anunciou que a quarta edição será realizado em setembro na cidade de Mulhouse (França).
É um festival único de degustação de cervejas especiais que representa a ponta de entrada de diversas industrias de cervejas estrangeiras. Em sua última edição, realizada em junho de 2012, atraiu mais de 100 mil pessoas, 637 tipos de cerveja e cerca de 200 microcervejarias. Além disso, o festival oferece aos visitantes um extenso segmento educacional com os seguintes eventos: Conferência Mbeer, Escola Mbeer de conhecimento Cervejeiro e Concurso Greg NoonanMBeer.

Pela 1ª vez no Rio de Janeiro, o evento vem para ser o mais importante festival internacional de cerveja. Com um histórico de sucesso em vários países estrangeiros, tem como objetivo reestabelecer o status nobre de cerveja, proporcionando aos visitantes locais e estrangeiros a oportunidade de saborear uma ampla variedade de cervejas de qualidade, sempre com ênfase na conscientização do consumo responsável.

Local: Praça Onze - de 14 a 17 de novembro.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Igrejas centenárias viram cervejarias

Conheça igrejas centenárias que viraram cervejaria, livrarias e boate Restaurados, templos religosos de até 700 anos atrás abrigam negócios. Estabelecimentos laicos preservam bancos, vitrais, confessionário e altar.

O ambiente de uma igreja parece não combinar com um bar ou uma discoteca, mas os proprietários da cervejaria Church Brew Works, nos EUA, e da boate Paradiso, na Holanda, parecem não se importar com isso. Eles montaram seus negócios em igrejas centenárias, que em vez de fiéis recebem hoje consumidores interessados em apreciar bebidas alcoólicas ou dançar em um espaço fora do comum.

Church Brew Works (Pittsburgh, EUA)

"E no oitavo dia... o homem criou a cerveja". Assim essa cervejaria se apresenta aos clientes em seu site. O estabelecimento funciona em uma igreja batista do início do século 20 em Pittsburgh. Após ser atingida por um incêndio em 1915, ela ficou fechada por mais de 80 anos. Em 1999, a cervejaria abriu suas portas. Segundo a empresa, a restauração da igreja foi feita com todo o cuidado, usando peças originais. Os bancos, por exemplo, foram cortados para servirem de assento para os clientes nas mesas. A madeira que sobrou foi usada no bar. Perto dele, fica um dos confessionários, intacto. As luminárias foram repintadas e os tanques de aço com a bebida ficam em frente ao altar, “no fundo celestial azul”, afirma a empresa.

Em tempo: Em Minas temos a cervejaria da Igreja Nossa Senhora da Glória de Juiz de Fora. http://cervejaavecesar.blogspot.com.br/2012/08/fabrica-de-cerveja.html  Vídeo da matéria http://www.allbeers.com.br/2012/10/padre-reabre-fabrica-de-cerveja-no.html

Foto: Church Brew Works, cervejaria que funciona dentro de uma igreja (Foto: Olessi e Lee Paxton/Creative Commons)

Memorial Minas Gerais Vale

Chichico Alkmim: 
Paisagens Humanas - Paisagens Urbanas

Nesse fim de semana tive a grata surpresa de estar na Praça da Liberdade com minha família, no fim de semana de 12 horas de programação cultural gratuita. O evento foi dividido em dois ambientes - um interno e outro externo - localizados no Memorial Minas Gerais Vale e na Praça Carlos Drummond de Andrade situada entre o Museu das Minas e do Metal e o Memorial Vale.

O tópico do evento é o mês é o da consciência negra. Nos diversos ambientes do Memorial observamos uma programação extensa, com a presença de música (samba e anos da Black n' Soul), performances de capoeira, e contos. Entre os espaços físicos com mostras, gravuras, imagens e roupas, me saltaram aos olhos três ambientes:  "Moda em Minas, Drummond Poeta, e Chichico Alkimim.

Esse último, Chichico merece destaque na mostra. Seus primeiros registros fotográficos tem início em 1907 e constituem, atualmente, um dos mais significativos documentos da memória visual mineira. Diamantina, portal do Vale do Jequitinhonha e UNESCO é uma referência histórica, cultural e política para Minas e para o Brasil. Mesmo de família ciosa de sua história (era irmão mais velho de José Maria Alkimim, político do PSD que chegaria a Ministro da Fazenda e vice-presidente da República), era pessoa humilde, simples e hábil na fotografia.

Vale a pena visitar o Memorial Vale. Leve sua familia! O ambiente é para todos! A entrada é franca ou quando cobrado é a preços populares.

Foto: Chichico Alkimim - Divulgação.

Cerveja belga


10 dias de cervejas belgas com desconto

Começa nesta sexta-feira, 8, a Semana da Cerveja Belga, promovida pelo Consulado da Bélgica com lojas e bares de São Paulo. A ideia é divulgar os estilos de cerveja produzidos no país. Haverá mais rótulos do que os geralmente disponíveis por aqui, e com descontos até o dia 17. Além disso, o sommelier belga Jean Pierre Pirson comanda uma degustação (quarta, 13, às 19h, inscrições: (11) 3145-7500).

A temporada segue o modelo do Belgian Beer Weekend, em Bruxelas. "É um dos eventos mais legais do mundo da cerveja. Eles fecham a Grand Place e as cervejarias montam barracas lá", diz Paulo Almeida, do Empório Alto dos Pinheiros, que torce para "daqui a cinco, dez anos, esse seja o nosso Belgian Beer Weekend".

Onde beber em SP

Asterix. Dará 20% de desconto em rótulos e 10% de desconto em kits de cerveja e copo. Terá 2 chopes: Delirium Tremens e St. Bernardus Abt 12. barasterix.com.br
Bierboxx. 20% de desconto em rótulos como Chimay, Kwak quadrupel, Delirium Tremens e Vedett. Tel: 3805-0151
Brejas. 20% de desconto. barbrejas.com
Cerveja Gourmet. 10% de desconto. cervejagourmet.com
Dona Mathilde. 50% de desconto em alguns rótulos. donamathilde.com.br
Empório Alto dos Pinheiros. 15 rótulos nas torneiras de chope (250 ml, R$ 20; veja lista no site). Degustação: com 4 copos de 200 ml, R$ 60. Descontos de 10% a 50%. altodospinheiros.com.br
Frangó. Duvel (330ml), de R$ 23 por R$16; Cantillon Gueuze (750ml), de R$ 59 por R$ 45. frangobar.com.br
Melograno. 50% de desconto. melograno.com.br
Mr. Beer. 20% de desconto em todos os rótulos belgas nas unidades Anália Franco, Lisboa, Itaim e Eldorado. mrbeercervejas.com.br

The Ale House. Nove chopes na promoção bebe 3, ganha 1. R. Peixoto Gomide, 1.730. Tel: 2679-5011

Brasil Kirin

Japonesa Kirin planeja aumentar sua produção de cerveja no Brasil

O fabricante japonês de cerveja Kirin Holdings planeja investir no próximo ano cerca de 15 bilhões de ienes para aumentar sua presença no Brasil, terceiro maior consumidor da bebida no mundo, informou o jornal Nikkei. Com este investimento, o fabricante espera duplicar a rede de produção de cerveja enlatada em sua fábrica situada na cidade de Igarassu, em Pernambuco, para perto de 300 mil quilolitros, o que elevará em 10% a parcela de mercado da empresa japonesa no Brasil.

Além disso, a Brasil Kirin - que produz cervejas como Devassa e Cintra, os refrigerantes e água Schin e sucos como Fruthos - não descarta ampliar suas unidades no País, no qual atualmente conta com 13 fábricas, diante do esperado aumento da demanda com eventos como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio de 2016.

Em sua estratégia, a firma japonesa comprou em agosto de 2011 a brasileira Schincariol, se tornando a 
segunda maior cervejaria do país com cerca de 15% da fração de mercado, longe dos 60% da belga-brasileira Anheuser-Busch InBev.


Com sua ampliação, a Kirin espera poder fortalecer sua rede de vendas, que atualmente se concentra no norte e nordeste do País, com sua ampliação para as zonas metropolitanas do sudeste, em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, informou o jornal. O Brasil produziu um total de 13,4 milhões de quilolitros de cerveja em 2012, 2,4 vezes mais que o Japão, volume que se espera seja aumentado em 3% durante 2013.


Para fins de informação - medidas de capacidade:

Quilolitro(kl)Hectolitro(hl)Decalitro(dal)Litro(l)Decilitro(dl)Centilitro(cl)Mililitro(ml)
Real Time Web Analytics