quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Oktoberfest Munique


oktoberfest de Munique apresenta a caneca oficial

A menos de um mês da 180ª Oktoberfest, a cidade de Munique apresentou nesta terça-feira (27) o local onde ocorrerá o maior festival de cerveja do mundo.
Toneladas de aço e madeira são usadas durante dez semanas para montar a estrutura da festa, com suas tendas, montanhas-russas e outras atrações.Os funcionários trabalham na construção do evento desde meados de julho. Neste ano, o litro da cerveja oficial do evento custará entre 9,40 e 9,85 euros, dependendo da barraca. A festa vai de 21 de setembro a 6 de outubro. 


Fonte: G1, São Paulo. Foto: Ag.Reuters

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Beer Experience


SP: Beer Experience reúne mais de 500 rótulos de cerveja

Terceira edição terá shows de Seu Jorge, Matanza e Demônios da Garoa e acontece de 27 a 29 de setembro em São Paulo



Além da capital paulista, Brasília e Rio de Janeiro também ganham edições de festival cervejeiro Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Além da capital paulista, Brasília e Rio de Janeiro também ganham edições de festival cervejeiro
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

 Aterceira edição do Beer Experience será realizada em São Paulo entre os dias 27 e 29 de setembro na Bienal do Ibirapuera. Além de mais de 500 rótulos de cervejas nacionais e internacionais em exposição, destaque também para os shows de Matanza, Seu Jorge e Demônios da Garoa.
Fonte: http://culinaria.terra.com.br/receitas/bebidas/sp-beer-experience-reune-mais-de-500-rotulos-de-cerveja,56afa360e6fb0410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html
.

mestrecervejeiro.com

Acerva Mineira com Humberto Ribeiro Mendes Episódio 67

Chegou a vez de provar as cervejas mineiras caseiras. Daniel foi até Belo Horizonte encontrar com Humberto Ribeiro Mendes, presidente da Acerva Mineira, e provou algumas cervejas locais. Entre elas inéditas como Wessbier com pé de moleque e Saison com Tamarindo. Além de uma excelente Saison e uma Black Witbier.u
Saiba mais sobre a Acerva Mineira, visite: http://acervamineira.blogspot.com.br
Cervejas Degustadas (Somente Caseiras)
Saison de Rafael Reis

Saison

Cervejeiro: Rafael Reis
Teor Alc.: 6,8%
Origem: Belo Horizonte, MG.
Saison com Tamarindo de Kelvin Figueiredo

Saison com Tamarindo

Cervejeiro: Kelvin Figueiredo
Teor Alc.: 6,0%
Origem: Belo Horizonte, MG.
Weissbier com Pé de Moleque de Kelvin Figueiredo

Weissbier com Pé de Moleque

Cervejeiros: Kelvin Figueiredo
Teor Alc.: 4,8%
Origem: Belo Horizonte, MG.
Black Witbier de Carlos Henrique Vasconcelos

Black Witbier

Cervejeiro: Carlos Henrique Vasconcelos
Teor Alc.: 5,2%
Origem: Belo Horizonte, MG.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

IMC - Instituto Mineiro da Cerveja

Amigo Cervejeiro!
Mais um evento do IMC - Instituto Mineiro da Cerveja. Primeira vez em BH! Oportunidade de aprendizado teórico-prático em leveduras cervejeiras (líquidas e pó). O IMC convidou para o curso a palestrante Dr. Gabriela Müller - Especialista/consultora em leveduras cervejeiras. Estamos finalizando os testes do processo de inscrição/pagamento online, os quais iniciarão em breve.


Stone Brewing

Morre cervejeiro da Stone Brewing


Stone Brewing está de luto, no último sábado faleceu o cervejeiroMatthew Courtright, vítima de um acidente dentro da cervejaria.

Matthew estava dirigindo uma empilhadeira quando ela capotou por cima dele, o cervejeiro de 27 anos teve ferimentos graves e foi levado para o Palomar Medical Center, onde veio a falecer no final da tarde.



site da Stone Brewing está fora do ar desde ontem, apenas com uma mensagem de luto. RIP Matthew Courtright.

Fonte: Allbeers.com.br

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Taberna do Vale


Os caras estão entusiasmados e eu curioso para conhecer! É semana que vem!


Cerveja e Banda Angra

Banda Angra lança cerveja artesanalFoto: Divulgação

DM.COM.BR por RYADH EXNALTO
Depois da criação da cerveja artesanal 'Biritis', lançada no começo deste mês em homenagem ao humorista Mussum, outra cerveja especial surgiu e será lançada em setembro. A banda de rock Angra agora também tem suas cervejas oficiais.
São duas cervejas, Angels Crys e Holyland. A venda oficial começa a partir de 1 de setembro. Mas para os fãs da banda que estarão presentes na gravação do DVD no dia 25 de agosto em SP com vários convidados, a Bushi do Brasil, criadora da bebida, disponibilizará uma pré venda.
A Bushi já lançou cervejas de outras bandas como Sepultura e Raimundos.
Fonte: Divulgação.
.

Mercado Internacional de Cervejas


    Por 
  • ROBIN VAN DAALEN
  •  e 
  • CLEMENS BOMSDORF
As cervejarias globais continuam lutando contra a fraca demanda na Europa e, pelo que tudo indica, não verão uma recuperação este ano, informaram a Heineken e a Carlsberg. Ambas anunciaram ontem que vão continuar cortando custos e procurando oportunidades nos mercados emergentes para impulsionar seus negócios.
Assim como a cervejaria belgo-brasileira Anheuser-Busch InBev BUD -0.25% e aSABMillerSAB.LN +2.17% sediada no Reino Unido, a Heineken e a Carlsberg foram afetadas pelas condições meteorológicas desfavoráveis e a baixa demanda na Europa Ocidental e nos Estados Unidos.
Bloomberg News
Para compensar o ambiente comercial difícil em mercados desenvolvidos, às voltas com problemas econômicos e tendências estruturais que prejudicam a demanda por cerveja, as maiores cervejarias do mundo têm abocanhado rivais na Ásia e na América Latina.
"Na Europa e nos EUA, a confiança do consumidor permanece baixa, agravada pelo mau tempo e pela desaceleração do crescimento em alguns países em desenvolvimento", disse o diretor-presidente da Heineken, Jean-François van Boxmeer, ao resumir as condições difíceis do primeiro semestre deste ano.
A terceira maior cervejaria do mundo em vendas, cujas marcas incluem, além da Heineken, a Amstel e a Sol, informou que não espera nenhuma alteração no ambiente de negócios na maioria de seus mercados no resto do ano, apesar de ter se beneficiado de um melhor clima de verão na Europa Ocidental em julho e de um aumento antecipado do volume em alguns mercados em desenvolvimento, como o México e a Nigéria.
A Carlsberg, quarta maior cervejaria do mundo em vendas, tem uma leitura semelhante. "Nos primeiros seis meses, o grupo alcançou crescimento dos lucros, apesar das condições de mercado desafiadoras na Europa Ocidental e Oriental", disse o diretor-presidente, Jorgen Buhl Rasmussen.
A Heineken divulgou queda de 7% no volume vendido na Europa Ocidental e de 6% na Europa Central e Oriental. Já a Carlsberg viu um declínio de 6% no volume na Europa Ocidental e de 7% na Rússia; na Europa Oriental como um todo, as vendas subiram ligeiramente, em 0,7%.
Enquanto a Carlsberg tem buscado se expandir pela Europa Oriental e Ásia, a Heineken se concentrou na Ásia e América Latina. Desde 2010, a Heineken já gastou mais de US$ 10 bilhões em aquisições para aumentar sua presença em mercados emergentes. Para compensar a desaceleração do crescimento no Ocidente, a Carlsberg voltou-se para a Rússia, que passou a ser seu maior mercado. Mas nos últimos anos, as vendas de cerveja caíram no país, afetadas por um plano do governo de reduzir o consumo de álcool.
Tanto a Heineken quanto a Carlsberg permanecem otimistas sobre as perspectivas para os mercados emergentes. "A maior parte desse 1,4 bilhão de euros (US$ 1,88 bilhão) [em investimentos] irá para mercados em desenvolvimento", disse Rene Hooft Graafland, diretor financeiro da Heineken. "Não esperamos uma reviravolta no curto prazo. Estamos construindo cervejarias novas na Etiópia e em Mianmar e estamos nos expandindo em países como Vietnã, Nigéria e México."
[image]
A Carlsberg foi a primeira cervejaria ocidental a anunciar um investimento em Mianmar, no início do ano, e nos últimos anos o crescimento da empresa dinamarquesa foi gerado quase exclusivamente na Ásia. Enquanto a receita entre 2010 e 2012 cresceu em apenas 4,4% na Europa Ocidental e 7,2% na Europa Oriental, na Ásia o aumento foi de 62%.
A Carlsberg está presente apenas na Europa e na Ásia. Já a Heineken opera nos EUA, América Latina e África. Os volumes da Heineken caíram 1% no segundo trimestre e 2% no primeiro semestre, com declínios nos EUA, Brasil e México anulando ganhos no Caribe e Canadá.
O lucro líquido da Heineken no primeiro semestre caiu 17% ante um ano atrás, para 639 milhões de euros, mas o resultado de um ano atrás foi ajudado por ganhos ligados à venda de seus ativos na República Dominicana. A receita subiu 6,6%, para 9,35 bilhões de euros, graças em parte à aquisição da fatia que ainda não possuía da Asia Pacific Breweries, de Cingapura, um negócio de US$ 6,4 bilhões fechado em novembro.
A Carlsberg registrou um lucro líquido de 2,07 bilhões de coroas (US$ 372 milhões) no segundo trimestre, 38% menor que o obtido no mesmo período de 2012. As vendas subiram 1,6%, para 19,64 bilhões de coroas.
Além de focar em economias de maior crescimento para compensar o declínio em outras regiões, ambas as empresas estão cortando custos. A Heineken, por exemplo, elevou sua meta de redução de custos de 525 milhões de euros para 625 milhões até o fim de 2014.
Font

Turismo Cervejeiro Minas Gerais

BH entra no caminho das cervejas artesanaisFabricantes criam roteiro turístico para consumidores conhecerem processo de fabricação da bebida em BH

Publicação: 23/08/2013 06:00 Atualização: 23/08/2013 06:42

Em setembro, a Belotur lança guia turístico da cidade e o circuito da cerveja artesanal será oficialmente incluído no roteiro da cidade.  (Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Em setembro, a Belotur lança guia turístico da cidade e o circuito da cerveja artesanal será oficialmente incluído no roteiro da cidade.


Antes de chegar ao copo do consumidor a bebida fabricada na Grande BH é mantida por 70 dias em adega subterrânea a uma temperatura constante de 19 graus. Não é curtida no silêncio dos tonéis, mas embalada pelo som terapêutico dos cantos gregorianos, etapa que antecede seu envasamento em garrafas de champanhe. Apesar da embalagem, não se trata de uma bebida francesa, mas da Monasterium, um entre os diversos rótulos da cerveja artesanal produzida em Minas. Apreciada pelo brasileiro as fábricas gourmet multiplicaram nos últimos cinco anos, transformando a capital em um espécie de “Bélgica brasileira.” A rota da cerveja é o mais novo roteiro turístico da capital. Ao custo de R$ 160, é possível aprender sobre o processo de fabricação da iguaria, passear pelas fábricas, degustar dezenas de rótulos, com direito a café da manhã e almoço genuinamente cervejeiros. 

Há cinco anos eram quatro microfábricas no estado, segundo levantamento do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral (Sindbebidas-MG). Hoje são 30, sendo 16 na Grande BH. Minas já é o terceiro maior fabricante nacional da espécie, produzida com receitas originais que podem levar em sua composição ingredientes típicos como a jabuticaba, rapadura e o caldo de cana de açúcar. A fabricação mensal do estado atinge 600 mil litros, que agora poderão ser degustados por turistas de todo o mundo, como ocorre com a rota do vinho no Sul do país. Em setembro, a Belotur lança guia turístico da cidade. “O circuito da cerveja artesanal será oficialmente incluído no roteiro da cidade, com endereços e detalhes do produto encontrado em cada fábrica”, explica o presidente da instituição Mauro Werkema. 

Falcone, mestre cervejeiro da Falk Bier, fábrica, em Ribeirão das Neves, na Grande BH, que está na rota cervejeira e investe R$ 1 milhão na ampliação da capacidade produtiva que passará de 10 mil litros/mês para 60 mil litros mensais.  (Joao Miranda/Esp. EM/D.A)
Falcone, mestre cervejeiro da Falk Bier, fábrica, em Ribeirão das Neves, na Grande BH, que está na rota cervejeira e investe R$ 1 milhão na ampliação da capacidade produtiva que passará de 10 mil litros/mês para 60 mil litros mensais.
A cervejaria Backer, que funciona no Bairro Olhos D’água, começou há 15 anos com produção para abastecer estabelecimento comercial próprio. Agora fabrica 245 mil litros/mês de 10 estilos diferentes do produto artesanal. Vende para todo o país e exporta para os Estados Unidos. A cervejaria, que já faz parte do roteiro turístico, está investindo R$ 5 milhões na ampliação do seu parque, especialmente para receber os visitantes. “Teremos um restaurante com capacidade para atender 300 pessoas, loja de souverniers, loja para homebrew (fabricação de cerveja em casa)”, diz Paula Lebbos, diretora de Marketing da cervejaria. Segundo ela, a inauguração será no ano que vem e o turista vai acompanhar o processo de fabricação e ainda participar de palestras. 

“As receitas de Minas são inéditas, fabricadas com conhecimento, inovação e criatividade, aplaudido por grande fabricantes mundiais”, diz Marco Antônio Falcone, diretor do Sindbebidas e proprietário da Falk Bier. A fábrica, em Ribeirão das Neves, na Grande BH, está na rota cervejeira e investe R$ 1 milhão na ampliação da capacidade produtiva que passará de 10 mil litros/mês para 60 mil litros mensais. Falcone, que fabrica a cerveja Monasterium, garante que o canto gregoriano não é apenas um charme. “Em experiências constatamos que as leveduras que escutam a música têm menor taxa de mortalidade.” De acordo com o especialista, o resultado é uma bebida com aroma agradável que tem conquistado o público. 

O roteiro com visita a pelo menos seis cervejarias já está aberto. “Temos várias opções de programa na Bélgica brasileira”, diz Fernanda Fonseca, proprietária da Libertas Viagens e Experiências. Ela diz que geralmente o turista escolhe conhecer de duas a três cervejarias por dia, em que conhece todo o processo de fabricação da famosa cerveja. “A demanda cresce ao ritmo de 20% ao mês.”

FESTIVAL Em 6 e 7 de setembro, os interessados em investir neste mercado poderão aprender mais sobre o processo artesanal no Festival de Cervejas Artesanais, Minas Mix Beer, que vai ocorrer na Serraria Souza Pinto, evento que também entrou para o calendário oficial da cidade. Segundo Cindra Gomes, organizadora do festival, a expectativa é que 8 mil pessoas passem pelo local, movimentando R$ 1 milhão em negócios.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Chicana

Vou fazer uma entre aspas aqui. Chicana: termo desconhecido por nós mortais, em resumo, eis o significado:

Substantivo feminino. 

1. Jurídico: dificuldade criada, no decorrer de um processo judicial, pela apresentação de um argumento com base em um detalhe ou ponto irrelevante; abuso dos recursos, sutilezas e formalidades da justiça; o próprio processo judicial (de forma pejorativa); contestação feita de má-fé; manobra capciosa, trapaça, tramóia.

2. Automobilismo: passagem em ziguezague através de uma série de obstáculos; dispositivo que dificulta a livre passagem dos carros ou motocicletas numa pista de corrida; cada um desses obstáculos ou dispositivos.

Etim.: do francês "chicane" (1582), passagem em ziguezague num entreincheiramento, dispositivo que impede a livre criculação de um fluído ou de um sólido, perseguir na justiça, levantar obstáculos para criar dificuldades num processo judicial.



MAPA 2013

Cerveja poderá ter leite, mel e ervas na composição em 2015, após acordo.

Governo e produtores de cerveja chegaram a um acordo antes do previsto sobre a nova fórmula da bebida. Ficou decidido que produtos de origem animal (leite e mel) e vegetal (frutas, ervas e flores) podem ser utilizados no processo de fabricação da cerveja.  A reunião para debater o assunto, que duraria dois dias, terminou nesta terça-feira (20).
Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a maior parte das reivindicações dos cervejeiros foi atendida, mas não houve consenso quanto ao pedido de parte do setor privado de redução do percentual de cevada maltada de 55% para 50%. Isso permitiria uma adição maior de cereais baratos, como milho e arroz.
"Algumas empresas estão reivindicando isso, porque diminuiria o custo da matéria-prima. A gente não vê justificativa para a necessidade. O texto vai ser encaminhado [para consulta pública] com esse teor, mas a gente sabe que algumas empresas vão solicitar a diminuição [da cevada maltada]. Só será aceito se houver justificativa técnica muito robusta", explica Marlos Vicenzi, chefe da Divisão de Bebidas do ministério.
Ficou acertado ainda que o texto da instrução normativa deve prever a possibilidade de envelhecimento da cerveja em recipientes de madeira, a exemplo do que é feito com vinho e outras bebidas.
O lúpulo, hoje obrigatório na receita, poderá ser substituído por ervas aromáticas no caso de algumas variedades da bebida. A questão da cerveja sem álcool, porém, não ficou definida. O Ministério da Agricultura ainda precisa reunir-se com a pasta da Justiça para discutir este ponto. Hoje, é considerada sem álcool a cerveja com até 0,5% de teor alcoólico, mas há um entendimento dos órgãos de defesa do consumidor de que a bebida deveria ser completamente livre do aditivo.
Como a questão precisa entrar na instrução normativa, a publicação do texto com as novas normas só ocorrerá após acordo sobre este tema.
Uma portaria submetendo este texto a uma consulta pública será publicada no Diário Oficial da União nos próximos meses. Será o último passo para o debate da questão no Brasil. Depois, a discussão passa a ocorrer no Mercosul, que também precisa aprovar as modificações na receita. A cerveja é um dos produtos cujos padrões de qualidade e identidade são harmonizados entre os países do bloco.
As novas receitas devem estar no mercado a partir de 2015, de acordo com o governo.
(Com a Agência Brasil)

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Minas Mix Beer


1) Curta a Fan Page (página) do Minas Mixbeer 2013; se já curtiu vá para o item 2;
2) Compartilhe o post (imagem) do sorteio;
3) Confirme sua participação no sorteio na página (fan page) do Minas Mixbeer 2013 na aba "Promoções".

Taberna do Vale

Schornstein

Schornstein começa a vender cerveja em garrafa


16 de agosto de 2013
Foto: DivulgaçãoE que belas garrafas providenciou a cervejaria de Pomerode para estrear nesse disputado mercado. A arte do rótulo é do designer e cervejeiro caseiro de Minas Gerais Fábio Guimarães. Combinou bem com a própria garrafa (500 ml) de estilo inglês, ainda pouco explorada pelas cervejarias nacionais.
O envase está sendo feito na unidade de Holambra (SP) da Schornstein, onde três máquinas foram compradas. Inicialmente, as garrafas serão vendidas para empórios, bares e restaurantes que trabalham com cervejas especiais em São Paulo e Santa Catarina. Pela capacidade de produção, as grandes redes de supermercados, por exemplo, ainda não fazem parte dos potenciais clientes.
Segue o caminho já aberto pelas cervejarias da região, como Eisenbahn, Bierland e Zehn Bier que também começaram só com chope e migraram para a cerveja em garrafa.

Cerveja Astra

Marca de cerveja troca garrafas vazias por show para os consumidores

Redação Portal IMPRENSA 19/08/2013
A marca de cerveja Astra criou uma campanha que busca diminuir o número d garrafas da marca jogadas pelas ruas de St. Pauli, o distrito da Luz Vermelha de Hamburgo (Alemanha) e, ao mesmo tempo oferecer um pequeno show para os consumidores.

Crédito:Reprodução
Máquina apresenta show diferentes a cada garrafa depositada

De acordo com a Exame, a Astra criou uma espécie de vending machine The Astra Bottletheatre. Nela, toda vez que alguém deposita uma garrafa vazia da marca, uma pequena janela se abre e um show aparece para o consumidor.

Os shows mudam o tempo inteiro e, do lado de fora, o público poder dar gorjetas, aplaudir e até dar um like para o artista.

O resultado foi uma fila de consumidores dispostos a devolver as garrafas vazias e um aumento considerável de seguidores da Astra nas redes sociais. 

Assista ao vídeo:


Turismo Cervejeiro

Cervejas estão nas rotas de turismo nacional

Cervejarias se tornam importantes na competitividade dos destinos turísticos

Cervejas estão nas rotas de turismo nacional Leo Munhoz/Agencia RBS

Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS
As cervejas artesanais caíram no gosto do brasileiro. Prova disso é o crescimento da produção pelo país e o aumento do número de eventos e festivais, que nos próximos meses devem atrair turistas para a feira Brasil Bier, em São Paulo (SP), para o Minas MixBeer, em Belo Horizonte (MG) e para a tradicional Oktoberfest, em Blumenau (SC).
A exemplo da Serra Gaúcha (RS), que se firmou como destino turístico apostando em suas vinícolas, Blumenau e cidades vizinhas catarinenses passaram a atrair turistas criando um roteiro de visitação para 11 cervejarias da região, conhecido como a Rota da Cerveja. A rota, criada em 2005, leva o visitante a conhecer o processo de fabricação de cervejas, do preparo dos ingredientes ao processo de fermentação do líquido. As principais cervejarias estão nas cidades de Blumenau, Pomerode, Jaraguá do Sul e Timbó. A prefeitura de Blumenau oferece um aplicativo gratuito pela internet com a localização e histórica das cervejarias.
De acordo com o secretário Nacional de Políticas de Turismo, Vinícius Lummertz, ao oferecer ao turista um produto típico da cultura, a região ganha ainda mais força turística.
— Ao reforçarmos os atrativos da região, há um ganho indiscutível de competitividade para o destino — afirma.
Blumenau já promove a maior festa alemã do país, a Oktoberfest. O parque da Vila Germânica, onde é realizada a festa, tem capacidade para quase 38 mil pessoas e este ano ocorre de 3 a 20 de outubro.
Belo Horizonte também vem atraindo o turista interessado em cerveja. No próximo mês, a capital será sede do Minas MixBeer, entre 6 e 7 de setembro. O evento deve atrair cerca de 10 mil pessoas entre profissionais e apreciadores da cerveja.
A Belotur, empresa de turismo da prefeitura de Belo Horizonte, pretende criar um roteiro de visitação às 18 cervejarias da capital, entre elas a Cervejaria Backer, que inaugura até o final do ano um parque cervejeiro aberto aos turistas. O espaço terá 4 mil m² e contará também com restaurante, espaço para eventos, loja de insumos para fabricação de chopes e cervejas. Em São Paulo também acontece um evento etílico, o Brasil Bier, no mercado central da cidade, de 3 a 8 de semebro.

961 Beer

Libaneses esquecem conflitos e descobrem a cerveja artesanal 
PUBLICADO EM 19/08/13 - 03h00
Beirute, Líbano.Beirute, Líbano.Beirute, Líbano. No início do ano, em uma praça no centro de Beirute, cerca de mil pessoas participaram de um festival de rock patrocinado pela 961 Beer, uma das poucas microcervejarias do Oriente Médio. Nas primeiras fileiras, mulheres estilosas ao lado de homens que mostravam forte preferência por camisetas pretas e óculos escuros da moda.
Esqueça a ideia de que a religião ou os efeitos da guerra impedem o sucesso de uma cervejaria libanesa; sim, é verdade que muitos muçulmanos não consomem bebidas alcoólicas, mas muita gente no Oriente Médio adora beber, principalmente no Líbano, onde a pluralidade religiosa inclui uma população cristã robusta. Além disso, as pessoas procuram o álcool durante tempos difíceis, como lembra Mazen Hajjar, o ex-investidor e executivo de uma empresa aérea que fundou a cervejaria.
Na verdade, o problema é outro: “Há 80 anos, o Líbano bebe cerveja leve, espumante. Eu quis fazer cerveja de verdade”, explica. Sua empresa fez aquela que foi considerada a melhor lager do Hong Kong International Beer Awards no ano passado. Além dela, a produção da 961 inclui uma Red Ale, uma Pale Ale, uma Atout, uma Porter, uma Witbier e, a partir de junho, uma IPA, ou India pale ale, escura.
Em 2012, ela vendeu o equivalente a 200 mil caixas de cerveja em garrafas e barris; neste ano, com os lucros das vendas domésticas e exportações, espera fechar as contas no azul pela primeira vez – o que é uma façanha e tanto quando se leva em consideração que a 961 foi fundada depois da guerra entre o Líbano e Israel, em 2006, quando a economia ainda não estava totalmente recuperada da guerra civil que terminou em 1990 e o conflito que flagela a Síria já começava a respingar no Líbano.
“É inacreditável que o Mazen tenha conseguido abrir e tocar o negócio no meio daquele caos. Ele é o Cavaleiro Solitário de lá”, diz Steve Hindy, um dos fundadores da Brooklyn Brewery e ex-correspondente da Associated Press em Beirute.
Hajjar teve a ideia de abrir a 961 em 2005, quando Henrik Haagen, executivo dinamarquês de férias em Beirute, se aproximou dele na rua para perguntar onde ficava um determinado restaurante. Os dois começaram a conversar e perceberam que ambos queriam começar um negócio – e quando surgiu a sugestão de que pudesse ser uma cervejaria, eles arregaçaram as mangas. Haagen voltou para a Dinamarca e começou a mandar lúpulo e grãos, difíceis de achar no Líbano, por UPS e DHL para o futuro sócio.
Origem.
Na cozinha de seu apartamento, ao som dos morteiros que explodiam de vez em quando, Hajjar começou a fazer baldes de cerveja baseado nas instruções de vários livros. Os primeiros saíram horríveis; não passavam de uma meleca gasosa e verde.
Em seguida, vieram as reuniões dominicais, nas quais cozinhava e testava suas novas ales e lagers. O número de participantes só aumentava e, um dia, quando a comida acabou, ninguém pareceu se importar.
Dias depois, dois estranhos bateram à sua porta. “Ouvimos dizer que você faz uma cerveja muito boa; podemos comprar algumas?”. Logo depois, Hajjar e Haagen juntaram dinheiro para começar a microcervejaria. Eles compraram todo o equipamento do Canadá – incluindo tubulação e tonéis de aço para a cocção, resfriamento e fermentação – e o instalaram em um pequeno galpão na periferia da cidade. Então, alugaram outro espaço e montaram um pub que se chamaria 961 Beer, o código telefônico internacional do Líbano.


Real Time Web Analytics