sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Watching You!

Essa é da  Dance para quem curte. Escuto de vez em quando um carinha chamado Paulo Pringles que roda um programa na Jovem Pan, o Planeta DJ, sob a tutela do famoso Crazy MDF Banana. O site dele é bacana www.djpaulopringles.com. O site é uma webradio e por ele é possível conhecer o que está tocando nas paradas mundiais.

Para combinar o momento estou tomando uma Kaiser Bock (o que sobrou na geladeira) e tá valendo, o defumando de sempre. Cervejinha bem feita. O clipe abaixo é do Kh33n Feat. David Edward - Watching You (Official Video). Kh33n lê-se como "Kheen".

Video Music

A musica pop abaixo é do Eric Hutchinson. Achei o clip interessante por que nele se destaca um formato meio "powerpoint" de apresentação. O ambiente é bem anos 60, lembrando um pouco os tempos nostálgicos de pin-ups! Bom vídeo!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Eden Beer


Em continuidade às andanças no sul do país mais precisamente no estado do Paraná, hoje conheci a microcervejaria Eden Beer. Sr. Erson e sua filha Cris são os anfitriãos que estão à frente do negócio. O espaço é muito bacana. Logo na entrada é possível ver os tanques de fermentação e o restaurante que possui uma varanda muito agradável. Quando cheguei, por volta de umas 19 horas o espaço estava tímido e vazio, quando saí às 21 horas as mesas já estavam todas ocupadas! O restaurante possui uma chopeira em trava com quatro torneiras e uma outra chopeira em barril metalizado com 4 saídas também!

Experimentei o chope pilsen - 100% malte, delicioso, bem cremado; O chope lager - um pilsen não filtrado - também muito bom. O chope dunkel não estava legal, talvez questão de barril. Tomei também o chope de trigo: bacana! O sabor de banana estava lá, presente! Esse eu fui a forra, deu para bebericar uns três!

Sr. Erson me apresentou a fábrica. Um verdadeiro projeto! A parte superior conta com uma brassagem de 2 mil litros e conta com ainda com panela de fervura, reservatório de mostura quente, central de água e caldeira.

No andar inferior (térreo) estão o filtro, e os tanques de fermentação, com quatro mil litros de capacidade! Supimpa! Ali, vale tirar a foto!

Em suma: Visitar a Eden vale a pena! Vale a foto, o momento e a diversão. Espero que futuramente que a Eden tenha uma lojinha com souvenirs pois estava com desejo de levar uma tulipa para casa, um porta-copo e quiçás uma camisa!

Eden Beer: Av Laguna 1520 - Zona 1  Maringá, PR | CEP: 87050-260

Mais informações: www.edenbeer.com.br

Wikibier Festival



O Wikibier Festival terá sua segunda edição neste sábado, dia 1º de setembro, reunindo em Curitiba 120 rótulos de cerveja, entre nacionais, importadas e muitas exclusividades. Depois da grande repercussão no ano passado, o evento retorna com novidades como estrutura ampliada, venda antecipada de fichas para consumo e mais opções na área de alimentação. Será realizado no espaço Contorno da Bola Eventos – que fica na BR 277, km 98, a três quilômetros do Parque Barigui.

O evento terá ainda shows com cinco bandas e barracas com comidas que poderão ser harmonizadas com cervejas. O Chef Ricardo Teruchkin vai assinar a gastronomia de quatro destas barracas deste espaço gourmet, voltado ao saboroso “casamento” entre pratos e cervejas. O tema será “Baixa Gastronomia com toques gourmet”, como ele define. “Apresentaremos petiscos e pratos rápidos tradicionais de boteco, de vários países, com um toque de alta gastronomia”, resume. Para cada prato, serão indicadas sugestões de cervejas para serem harmonizadas. 

CERVEJAS ESPECIAIS

A seleção do Wikibier trará os mais variados estilos de cerveja, dentro das duas grandes famílias – as cervejas tipo Ale e as Lager. No total, vão participar mais de 25 cervejarias, entre brasileiras e internacionais, além dos home brewers (cervejeiros artesanais caseiros). Este elenco será responsável por trazer mais de 120 rótulos diferentes. Entre eles, muitos serão degustados pela primeira vez em Curitiba.

Entre os convidados internacionais, o Wikibier Festival terá a presença do cervejeiro dinamarquês Mikkel Borg Bjergso.

Mikkel Borg Bjergso, que assina as cervejas Mikkeller, é uma das grandes estrelas mundiais do universo cervejeiro. Atualmente ele exporta suas criações para mais de 40 países, e é aclamado como um dos mais inovadores produtores em atividade. Elabora muitas de suas cervejas de forma colaborativa com outras micro cervejarias da Europa e Estados Unidos. Além disso, faz rótulos exclusivos para muitos restaurantes estrelados da Dinamarca. Há dois anos lançou o Mikkeller Bar, no centro de Copenhague, onde oferece suas bebidas e também de outras marcas.

A confraternização entre produtores e “bebedores” também é um ingrediente importante. Nas barraquinhas, estas duas pontas do universo cervejeiro poderão se encontrar e trocar idéias.

Mais informações e fonte: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?id=25301&op=gastronomia

Oktoberfest Empório Biergarten

Para os cervejeiros de plantão, se preparem! Em Ribeirão Preto, dia 27 de outubro nossos amigos Marcelo e Gabriela darão aquela festa cervejeira que merecemos!

Saiba mais no site do empório www.emporiobiergarten.com.br

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Fábrica 1

Ponto turístico e gastronômico em Londrina

Pelas andanças aqui no Sul, dei uma paradinha em Londrina para conhecer a Fábrica 1. A estrutura é muito agradável, com bar e restaurante e um quisoque anexo. A chopeira, em formato de barril com banco de gelo, é uma atração a parte no salão do restaurante. Fui atendido graciosamente pela Kátia, garçonete prá lá de gente boa.

Ao lado do restaurante está a fábrica, bem iluminada com os tanques em aço inox brilhosos. As cervejas são do estilo lager, destacando o pilsen não filtrado. Me ofereceram a cerveja escura da casa conhecida como "Lager Café".  Os aromas de café aparecem, mas o sabor ficou faltando.... Senti falta dos maltes carafas torrados que realmente dão a potência em um verdadeiro estilo stout, porter, etc.

De qualquer forma jantei a costela da casa - muito gostosa- e tomei como sobremesa um sorvete, também show de bola! O preço dos pratos e do chope são bem acessíveis. Enfim, vale a visita, vale o tempo, vale conhecer e prestigiar a Fábrica 1. Chegando lá pergunte pelo João, gerente gente fina que me recebeu muito bem. 

A casa ainda tem um pontinho para souvenir ao qual comprei uma tulipa. Vende-se ainda avental, jarra, bolsa térmica e de pesca e porta-copos. Aqui, deixo os meus agradecimentos a turma Fábrica 1! Saudações e Saúde!


Mais detalhes acesse: www.fabrica1.com 

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Mega Fabricas - Heineken




Rede Sociais

Heineken, Petrópolis e Schin disputam nas redes sociais segundo lugar no mercado de cervejas

Com base no comportamento de seus consumidores, marcas desenvolvem ações digitais diferenciadas para promover seus produtos e engajar seus seguidores.

Quinto maior fabricante de cerveja no mundo, o Brasil produz anualmente 10,34 bilhões de litros da bebida e fatura mais de R$ 25 bilhões, segundo o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv). De olho no mercado e em seu potencial, os grupos Heineken, Petrópolis e Schincariol lançam estratégias cada vez mais focadas nas mídias sociais para atrair consumidores e disputar o segundo lugar, atrás apenas da gigante Ambev. Hoje, a dona da Skol, Antarctica e Brahma é considerada a companhia mais valiosa do país, estimada em R$ 215,14 bilhões pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Longe das estratégias agressivas da década de 1990, os quatro grupos assinaram recentemente um pacto de não-agressão para evitar sanções do Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar). Depois das telefônicas, as cervejarias são as campeãs de disputas na publicidade e Marketing. Ainda que nas mídias tradicionais as campanhas sejam mais apelativas, nas redes sociais os grupos trabalham cada vez mais a interatividade para atrair novos consumidores.
O reposicionamento da Kaiser é um case de sucesso recente no mercado cervejeiro. Comprada pelo grupo Heineken há pouco mais de um ano, a mudança na identidade visual e na fórmula do produto, é reforçada por meio do Facebook, que ajuda a fidelizar e atrair consumidores, principalmente da classe média emergente. A Kaiser tem mais de 188 mil fãs na rede social e conta com ações divertidas na plataforma, como o "Churrasco na Laje", em que incentiva eventos nas comunidades sugerindo a compra da cerveja. O número é maior do que o perfil da própria Cervejaria Heineken Brasil, com 161 mil pessoas.

Imagem: Thinkstock 


Como marca, a página mundial da cerveja holandesa conta com mais de oito milhões de seguidores e tem sistema de reconhecimento por países. A estratégia é fazer com que cada marca se sobressaia, sem mostrar competitividade entre elas, trazendo conteúdo. "A qualidade do diálogo é muito nítida e percebemos que no caso da Kaiser, por exemplo, passamos de um estado de rejeição e resistência para consumidores que se transformaram em advogados da marca. Hoje, o Facebook tem um papel estratégico e a audiência ajuda a criar nosso discurso baseado na verdade", avalia Chiara Martini, Gerente de Mídia Digital da Heineken Brasil, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Quando a estratégia manda

Um perfil nas redes sociais não basta. Ainda que as marcas de cerveja estejam conectadas a plataformas digitais, o diferencial será feito por aquelas que entenderem que tipo de consumidor procuram e de que forma chegar até eles. A Skol, por exemplo, têm 6,4 milhões de fãs no Facebook, o maior número entre as marcas nacionais e, como estratégia de Marketing, conta com ações promocionais ao longo do ano e até uma rádio para interatividade. A Brahma também inovou ao lançar perfis na rede social a partir de times de futebol, o do Flamengo conta com mais de 1,5 milhões de seguidores.
Desde que as redes sociais surgiram e se popularizaram, o comportamento do consumidor e a relação dele com as marcas passaram por mudanças até então impensáveis. No mercado cervejeiro, o destaque irá para os que souberem usar a linguagem a seu favor. "Nosso mercado é super competitivo, a diferença é que o ambiente do digital permite que a estratégia tenha mais valor do que o investimento. Antes era uma via: determinava-se a mensagem e a transmitia na TV, jornal e revista. Hoje existe uma preocupação de como entrar na conversa", pontua Chiara.

A semelhança entre os produtos acaba sendo a maior dificuldade dos grupos. Mesmo que haja diferenciação na qualidade e ingredientes, a linguagem de abordar o consumidor será fundamental para as marcas terem destaque. "É preciso chegar ao consumidor participando da vida dele, celebrando bons momentos. Nas redes sociais, a relação é direta, ele reage a estímulos que fazemos e isso é essencial. Ouvir nosso público nos direciona para qual caminho devemos seguir", diz Luciano Sadi, Gerente da Marca Nova Schin, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A diferença no relacionamento entre as mídias tradicionais e as mídias sociais acaba sendo a influência que o consumidor gera, antes preterido apenas ao papel de receptor. "As redes sociais são fundamentais, ou você tem ou terão por você. É uma ferramenta importante e um trabalho efetivo para formar opinião, buscar consumidores e embaixadores da sua marca. Acaba sendo um termômetro dos nossos produtos", afirma Douglas Costa, Diretor de Mercado do Grupo Petrópolis, em entrevista ao portal. 

Fonte: ISA SOUZA - Mundo Marketing http://www.administradores.com.br/informe-se/marketing/heineken-petropolis-e-schin-disputam-nas-redes-sociais-segundo-lugar-no-mercado-de-cervejas/58946/

sábado, 25 de agosto de 2012

Fábrica de Cerveja

Fábrica de cerveja funciona dentro de igreja em Minas Gerais

"Abençoai, Senhor, esta criatura, a cerveja, que vos dignastes produzir do melhor lúpulo", diz a oração da bebida
O novo pároco da Igreja da Nossa Senhora da Glória, Flávio Leonardo, em Juiz de Fora (MG), quer reativar a pequena fábrica de cerveja artesanal que funcionou por 100 anos no porão da instituição religiosa. A cervejaria foi trazida por padres holandeses, da ordem redentorista, no fim do século 19 e instalada em um convento anexo à igreja.

Enquanto esteve produzindo ativamente, até 1994, a fábrica produziu cerveja apenas para o consumo dos religiosos. Ao longo desse período de funcionamento, um irmão era designado pela a igreja para administrar a produção da bebida.

O padre Flávio Leonardo assumiu a igreja em 2010 e ele conta com o apoio de cervejeiros locais no retorno das atividades da fábrica. Pessoas habilidosas para o serviço não falta na cidade, até porque Juiz de Fora foi porta de entrada do produto em Minas Gerais.

Em 1894, a instalação da fábrica não causou estranheza na população. Hoje, muitos fiéis desconhecem a existência da produção da bebida no prédio da igreja. Mesmo assim, a “oração da cerveja” está registrada no livro dos redentoristas.

“Abençoai, Senhor, esta criatura, a cerveja, que vos dignastes produzir do melhor lúpulo, para que seja remédio saudável ao gênero humano”, diz um trecho da oração.

Os redentoristas ainda trouxeram mais cinco cervejarias para o Brasil, mas apenas a instalada na Igreja da Nossa Senhora da Glória se mantém em funcionamento. Atualmente, oito mosteiros no mundo produzem cerveja: seis na Bélgica, um na Áustria e um na Holanda.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Hipster Ale



Um bom hipster não poderia ser fã de uma marca de cerveja tradicional. Quanto mais exótico melhor. A solução chega agora com a produção da Hipster Ale, cuja receita original é da Dinamarca.

A produção em solo americano é da Westbrook Brewing, que fabrica sob licença da dinamarquesa Eviltwin. Não se deixe levar pelo nome ou pela lata colorida. A Hipster Ale é forte (tem 5,5 % de álcool) e possui nota 3,3 em sites internacionais de avaliação de cerveja — as nacionais, por exemplo, não conseguem passar de 2 pontos.

Fonte: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/empresa-dos-eua-comeca-a-fabricar-cerveja-hipster

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Heineken Cube




Com m o modelo Heineken Cube, caberia mais espaço nos caminhões da cervejaria e na geladeira dos consumidores
 
O francês Petit Romain criou a Heineken Cube, um novo conceito de garrafa para a cervejaria holandesa. Com a proposta, as garrafas ocupariam menos espaço nos caminhões da cervejaria, o que contribuiria para o meio ambiente: o fabricante poderia transportar mais garrafas, diminuir o número de viagens e consumir menos combustível.
O consumidor, por sua vez, poderia guardar mais cerveja na geladeira e ter a certeza de que as garrafas não rolariam como os recipientes cilíndricos. Petit Romain criou o novo modelo por conta própria. A Heineken ainda não se pronunciou sobre o trabalho do designer.



domingo, 19 de agosto de 2012

Wäls 42

Cerveja artesanal mineira Wäls 42 está sendo feita em parceria com funcionários da Google América Latina

Em outubro do ano passado uma notícia inusitada agitava o mundo cervejeiro. A cerveja Urkontinent foi elaborada nos Estados Unidos pela artesanal Dogfish Head, com um detalhe no mínimo inusitado: A receita, no estilo belgian dubbel, tinha sido engendrada em parceria com funcionários da Google americana com ingredientes de várias partes do mundo.
No momento que este post está sendo publicado, uma parceria semelhante está sendo travada, só que aqui no Brasil. Integrantes da equipe do Google América Latina estão na fábrica da microcervejaria mineira Wäls a fim de elaborarem em conjunto uma receita de cerveja.

Figo, limão e coentro na receita

De acordo com a jornalista Fabiana Arreguy, que comanda o programa Pão e Cerveja e está neste momento acompanhando a brassagem, a Wäls 42 é do estilo Saison/Farmhouse Ale — inédito no Brasil — e terá em sua composição, entre outros ingredientes, limão, figo, amêndoas californianas, café e coentro.

Amêndoas californianas a serem usadas na receita da Wäls 42.

Nome misterioso

Há alguns dias a Wäls vem atiçando a curiosidade dos amantes de cervejas com frases aparentemente desconexas sobre sua mais nova cerveja. Para ter uma pista sobre a breja, a instrução era para que se pesquisasse no Google a frase “Resposta para a vida, o universo e tudo o mais”. O primeiro resultado é o verbete “Quarenta e dois” da enciclopédia digital Wikipedia.

A nova breja tem previsão para ser lançada em meados de setembro.

Fonte: Maurício Beltramelli  http://www.brejas.com.br/blog/18-08-2012/wals-prepara-nova-cerveja-em-colaboracao-com-google-12672/

Copos para cervejas

Dança dos copos

Para os apreciadores de cervejas especiais, utilizar o recipiente correto é fundamental na hora de beber

por Rafael Teixeira | 22 de Agosto de 2012



A cena se tornou rotineira em alguns bares cariocas. A cada novo rótulo de cerveja que chega à mesa, o garçom troca o copo por outro, completamente diferente do anterior. Os formatos são os mais variados possíveis: arredondados, cilíndricos, cônicos, altos, baixos, com a boca mais larga ou mais fechada. Para quem está ingressando nesse universo, tanto salamaleque pode parecer frescura. Porém, aqueles que conhecem o assunto há mais tempo garantem: beber no recipiente correto faz, sim, toda a diferença. "A escolha certa valoriza o produto, não só porque fica mais bonito, mas por potencializar suas qualidades, o que é mais importante", diz Hélio Vieira Junior, sócio do Delirium Café, em Ipanema.

Com um modelo de copo para cada marca de cerveja, a variedade de recipientes é gigantesca. Mas a lista pode ser reduzida a onze principais: pilsner, cálice, tulipa, snifter, weizen, caneca, stange, flûte, tumbler, pint e caldeireta. Todos têm sua especificidade (veja o quadro abaixo). Aqueles com o bocal mais estreito, por exemplo, conservam o aroma do líquido por mais tempo, enquanto os altos e com diâmetro menor na base propiciam a formação de espuma mais densa. Segundo Xavier Depuydt, dono da loja Belgian Beer Paradise, em Ipanema, mesmo as fábricas mais antigas, como a belga Het Anker, de 1471, sempre se esmeraram na produção de suas próprias taças. "Nos primórdios, inclusive, elas eram feitas de madeira e cerâmica, porque o vidro não era um material tão popular", acrescenta.

Trazendo a marca do rótulo estampada, os copos viraram objeto de desejo dos cervejeiros mais fanáticos. Não é para menos. Muitos exemplares têm belíssimos desenhos, dignos de ser expostos na sala, entre quadros, objetos de arte e peças assinadas por designers. O professor de judô Sergio Simon, por exemplo, guarda mais de 130 deles em um armário envidraçado. "O móvel fica posicionado estrategicamente em minha casa para que seja a primeira coisa que as pessoas vejam quando entrarem", conta o colecionador, que costuma garimpar as peças no exterior ou em bares e lojas especializados do Rio. Sua maior preciosidade é uma taça da cerveja Westvleteren, comprada diretamente na fábrica, fundada em 1838, em um mosteiro trapista da Bélgica. O xodó com o objeto é tamanho que só ele mesmo o usa, lavando-o em seguida.

Fonte: http://vejario.abril.com.br/edicao-da-semana/copos-de-cerveja-697932.shtml

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Cerveja do Obama

Cerveja da Casa Branca vira brinde eleitoral de Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, introduziu um novo tipo de brinde na campanha eleitoral do país - a cerveja produzida na Casa Branca.

Em viagem de ônibus pelo estratégico Estado de Iowa, na terça-feira, o presidente entregou uma garrafa da cerveja, chamada White House Honey Ale, a um cliente de uma cantina em Knoxville. O presente foi dado quando a conversa desviou para o tema cerveja.

Embora seja a primeira vez que essa cerveja vira protagonista da campanha, um funcionário da Casa Branca disse que o presidente e a primeira-dama costumam de vez em quando levar nas suas viagens algumas garrafas da bebida produzida na pequena cervejaria da sede do governo.

Chefs da Casa Branca usam receitas tradicionais para produzir a cerveja, que vem nas versões clara e escura. Um dos ingredientes usados é o mel extraído da colmeia mantida pela primeira-dama na parte sul do terreno.

O contribuinte americano não paga a conta da cerveja, pois os equipamentos e matérias-primas são incluídos nas despesas pessoais da família Obama, segundo o funcionário da Casa Branca que comentou o assunto.
A cerveja tem sido assunto recorrente nos compromissos eleitorais de Obama nesta semana. Na terça-feira, ele disse num evento na localidade de Waterloo que havia almoçado costeleta de porco e cerveja na Feira Estadual de Iowa. Um gaiato, vendo a cena, gritou "Four more beers?" ("mais quatro cervejas?"), num trocadilho com a expressão "four more years" ("mais quatro anos", período do eventual segundo mandato do democrata).

O gosto pela cerveja contribui para que Obama transmita uma imagem de homem do povo - algo que seu rival republicano, Mitt Romney, não poderia fazer, já que segue a religião mórmon e, como tal, não consome álcool.
Mas o democrata não é o primeiro presidente dos EUA a ser um apreciador assumido das bebidas alcoólicas. Os pais fundadores usavam várias delas - cerveja, whisky ou ponche de rum - durante suas campanhas eleitorais. George Washington, primeiro presidente do país, fazia promessas eleitorais enquanto seus possíveis apoiadores se embebedavam; depois do mandato, tornou-se o maior fabricante de whisky da jovem nação.

Na época de Thomas Jefferson, a Casa Branca estava sempre abastecida com vinhos importados. Franklin D. Roosevelt gostava de tomar martinis, e Bill Clinton bebia vodka Grey Goose com gelo no Café Milano, na capital.

Nem mesmo durante a Lei Seca (1920-23) a Casa Branca ficou totalmente sóbria. Na época, o presidente Warren G. Harding escondia uma vasta coleção de garrafas que abasteciam seus famosos coquetéis.

Garrett Peck, historiador que pesquisa a relação dos norte-americanos com o álcool, disse que uma foto de Ronald Reagan com uma taça de vinho branco se tornou um "momento definidor" na aceitação do consumo de álcool pelos presidentes. Segundo ele, o hábito vem se tornando mais aceitável, e dessa forma mais presidentes passaram a ser vistos bebendo.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/eua/eleicoes/2012/noticias/0,,OI6081845-EI19126,00-Cerveja+da+Casa+Branca+vira+brinde+eleitoral+de+Obama.html

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Ambev

Impacto de alta do IPI sobre Ambev preocupa analistas

O aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre bebidas frias, que entra em vigor em 1º de outubro, preocupa os analistas que acompanham a Ambev. Relatório do HSBC aborda a necessidade de a empresa apresentar mais detalhes "sobre os possíveis efeitos do aumento iminente nos impostos incidentes no Brasil, tanto em cervejas como refrigerantes" e questiona se a nova tributação pode afetar os investimentos planejados para 2012.

Este ano, a companhia informou que poderia investir R$ 2,6 bilhões - valor em linha com o que foi aplicado em 2011, de R$ 2,5 bilhões. Em entrevista ao Valor este mês, antes do período de silêncio, o presidente da Ambev, João Castro Neves, disse que os investimentos do primeiro semestre haviam sido mantidos conforme o planejado. "Se tudo correr bem, a capacidade de produção pode aumentar em até 10% este ano", disse.

"Impostos mais altos devem impactar vendas negativamente", diz o relatório do banco Safra. "Apesar de nossa visão positiva sobre a companhia, com uma geração forte e estável de fluxo de caixa livre, consideramos as ações como totalmente precificadas com seu múltiplo preço por lucro [P/L] para 2012 em cerca de 40,2% acima de sua média histórica", informa o documento.

O Itaú projeta aumento de 7,7% no preço por hectolitro no segundo trimestre, como resultado do impacto negativo decorrente de aumento de impostos no primeiro trimestre, da ordem de 2,2%.

"Estamos interessados em ver se a Ambev pode apresentar um crescimento mais balanceado de volumes e preços em 2012", diz o relatório do HSBC, assinado por Lauren Torres e James Watson. A companhia apresenta resultados do segundo trimestre amanhã.

O lucro líquido da Ambev no segundo trimestre deve crescer entre 7,6% e 11,7% segundo estimativas de três bancos (HSBC, Deutsche e Itaú BBA) e de uma casa de análise (Raymond James) que acompanham a empresa. A previsão mais otimista vem do HSBC (R$ 2,04 bilhão de lucro líquido, versus R$ 1,83 bilhão reportado no trimestre de 2011) e a menos animadora é a do Itaú BBA (R$ 1,97 bilhão). O Itaú é ainda o mais conservador em relação à expansão da receita líquida: 14,2%, para R$ 6,63 bilhões. Já o Deutsche prevê avanço de 20,2% no período.

Em aumento de volume de cervejas, Deustche e Itaú BBA têm expectativas parecidas: 3,6% e 3,7%, respectivamente. O HSBC prevê alta de 6,5%. Em refrigerantes, o Deutsche estima avanço de 6%.

"Em termos de preço de cerveja, estamos assumindo crescimento de 5% em receita por hectolitro. Nós esperamos que as margens cresçam ligeiramente no Brasil", diz o relatório do Deutsche, assinado por Jose Yordan, Renata Coutinho e Rebeca Sanchez Sarmiento.

"Esperamos que a Ambev reporte um resultado sólido, mas sem surpresas, com margem ebitda estável na comparação anual", informa o relatório da equipe de analistas do Itaú BBA Alexandre Miguel, Barbara Angerstein, Renato Salomone e Felipe Cruz.

O Itaú espera uma leve desaceleração nos volumes consumidos no país, que deve vir acompanhada de menor ganho de mercado.

Fonte: Valor Econômico, julho30, página b5.

domingo, 12 de agosto de 2012

Irmão Urso

Ursos invadem cabana e bebem mais de 100 latas de cerveja na Noruega

'Eles fizeram uma festa infernal', diz dono de cabana que ficou destruída. Animais também comeram toda comida e destruíram aparelhos, diz ele.

Uma família de ursos invadiu uma cabana no norte da Noruega e bebeu mais de 100 latinhas de cerveja, segundo o jornal “The Local”.

“Eles fizeram uma festa infernal”, contou o dono da cabana, Even Borthen Nilsen. “Estava tudo fedendo a urina e lixo.”

Os ursos, que ela acredita terem sido um adulto e três filhotes, forçaram a porta da cabine, destruindo parte de uma parede. “A cabana ficou destruída”, lamentou o dono.

Agora fica a dúvida: Quais eram os ursos? Deixamos alguns abaixo para você tentar acertar.


Real Time Web Analytics